MDB é mais do que só uma pessoa, diz Câmara sobre mudança na presidência

O parlamentar disse já ter colocado o próprio nome à disposição.

O ex-governador André Puccinelli e o deputado estadual Renato Câmara - (Foto: Reprodução Facebook)

Deputado estadual pelo MDB, Renato Câmara afirmou nesta quarta-feira (27) que o partido ‘é mais do que só uma pessoa’ ao defender renovação na presidência da sigla em Mato Grosso do Sul, atualmente comandada pelo ex-governador André Puccinelli. O parlamentar disse já ter colocado o próprio nome à disposição.

“O MDB precisa sair do palanque e fazer construções partidárias. A eleição para governo é daqui quatro anos. Com o Puccinelli à frente do partido nós continuamos no palanque. O MDB ele é maior do só uma pessoa”, ponderou.

No entanto, o deputado nega disputa pela presidência. “O MDB é um ambiente político e para este novo momento político temos defendidos encaminhamento com uma nova direção. Mas nada contrário ao André. Vamos aceitar o consenso. Não vamos para disputa, estamos colocando ideias”, conversou.

Câmara citou mudanças no PSDB e no PSD como exemplo. “Todos os partidos têm buscado um novo encaminhamento. Estão se renovando, como o Beto Pereira presidente do PSDB e o Nelsinho Trad como presidente do PSD”.

Uma reunião com a bancada está prevista para depois do Carnaval, quando a questão deve ser debatida. “Essa renovação de diretório pode até garantir novas filiações. Se espera chegar no fim do ano para isso passa o prazo de filiação. Se o André permanece, nada contra, mas fica um pensamento de disputa com o governo estadual e todos os partidos tem buscado novos encaminhamentos”, finalizou.

Reunião

Deputado estadual do MDB, Márcio Fernandes afirmou na terça-feira (26) que o partido articula uma reunião para depois do Carnaval visando as eleições municipais de 2020.

“A ideia é ter a presença de toda a bancada, com o Moka, André Puccinelli e Simone sobre o próximo momento eleitoral, que são as eleições do ano que vem”.

Puccinelli na Câmara

Na segunda-feira (25), o ex-governador André Puccinelli (MDB) movimentou a Câmara de Vereadores de Campo Grande ao visitar aliados e ser bastante assediado por quem estava no legislativo municipal.

Entre abraços e fotos, o ex-governador revelou que foi à Câmara visitar um ‘amigo, pessoa física’. Puccinelli esteve em pelo menos dois gabinetes da Casa, dos emedebistas Loester Nunes e Wilson Sami, ambos médicos, como o próprio André.

Após deixar o gabinete de Sami, o ex-governador declarou que não tem interesse em disputar uma nova eleição.

“Não é minha vontade ser candidato. Eu já não o fui candidato ao Senado. Não existe pretensão, vontade minha. Mas se por acaso por algum motivo o partido pressionar e eu viesse a ser candidato eu não seria a vereador ou a deputado estadual. Poderia ser aos outros quatro cargos: governador, senador, federal ou prefeito. Poderia ser. Não quero, não pretendo”, afirmou André.