Com 3 votos contrários, Câmara aprovou instalação da CPI do Transporte Escolar

O transporte escolar tem um custo anual de R$ 8,5 mi, com 26 linhas da própria Secretaria e 17 empresas exploram itinerários terceirizados.

Vereador Cledinaldo Cotócio apresentou o requerimento propondo a CPI durante a sessão - Foto: Vanderi Tomé/Região News

A Câmara Municipal de Sidrolândia aprovou na sessão desta terça-feira, a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os gastos da Prefeitura com o transporte escolar. Só os vereadores Edno Ribas, Jonas Rodrigues e Otacir Figueiredo, votaram contra a proposta sugerida pelo vereador Cledinaldo Cotócio, que conseguiu outras oito assinaturas no requerimento com o pedido da CPI.

O requerimento foi encaminhado à Procuradoria Jurídica do Legislativo para dar a formatação de composição da CPI (que terá cinco membros), definindo o número de integrantes que cada bancada ou bloco poderá indicar. Escolhido os integrantes, caberá a eles definir o presidente e o relator.

O transporte escolar tem um custo anual de R$ 8,5 milhões, com 26 linhas da própria Secretaria de Educação (que tem uma frota de 30 ônibus) e 17 empresas exploram itinerários terceirizados. O vereador Cledinaldo levantou suspeitas de superfaturamento (há linhas em que o custo do quilômetro rodado supera R$ 10,00) e até pagamentos indevidos. Entre os investigados, o padrasto do vice-prefeito, dono de uma das empresas terceirizadas.