São Paulo vence Bragantino, abafa crise e reassume liderança do grupo

O Bragantino, por sua vez, segue estacionado com 10 pontos, na terceira posição do Grupo C.

- Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O São Paulo findou um jejum de cinco partidas sem vitórias na tarde deste domingo. Jogando no Estádio Nabi Abi Chedid, o Tricolor passou longe de realizar uma grande apresentação, mas conseguiu derrotar o Bragantino por 2 a 0, graças aos gols de Pablo e Arboleda, ambos feitos no segundo tempo do duelo válido pela nona rodada do Campeonato Paulista.

O resultado, além de abafar a crise que se instaurou no Morumbi neste início de temporada, recoloca o time dirigido interinamente por Vagner Mancini na liderança do Grupo D, com 13 pontos, superando Oeste (12) e Ituano (11). O Bragantino, por sua vez, segue estacionado com 10 pontos, na terceira posição do Grupo C.

Pela 10ª rodada do Paulistão, o São Paulo enfrenta a Ferroviária no próximo sábado, às 21 horas (de Brasília), no Pacaembu, uma vez que o Morumbi sofreu danos causados pelas fortes chuvas deste final de semana. Um dia antes, às 18h45, o Bragantino visita o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

O Jogo – O primeiro tempo foi truncado e com poucas chances de gol para ambos os times, mas São Paulo começou ligeiramente superior. Aos quatro minutos, Arboleda cruzou da direita, e Pablo testou com perigo. O Bragantino respondeu aos 12, quando Wesley arriscou de fora da área, assustando o goleiro Tiago Volpi.

Com Hernanes bem marcado e ainda mostrando estar longe da forma física ideal, coube a Antony articular as principais ações ofensivas do Tricolor. Mas, embora tenha sido o jogador mais lúcido do time na primeira etapa, o jovem meia não conseguiu ajudar a furar a retranca alvinegra.

 

Tanto que as melhores oportunidades do São Paulo foram na bola parada. Casos das cobranças de falta de Pablo e Hernanes, que obrigaram o goleiro Alex Alves a trabalhar. Já a equipe da casa levou algum perigo em contra-ataques e na bola aérea, mas também passou longe de abrir o placar antes do intervalo.

Para deixar o time mais ofensivo, Vagner Mancini voltou para a etapa complementar com Diego Souza no lugar do pendurado Bruno Alves. Já Marcelo Veiga teve que tirar o volante Adenilson, que saiu machucado, para colocar o atacante Adriano Paulista.

Com mais espaços, o Bragantino quase inaugurou o marcador aos quatro minutos. Em rápido contra-ataque, Matheus Peixoto cruzou na medida para Wesley, que finalizou em cima de Arboleda. No rebote, Magno soltou a bomba da entrada da área, e tirou tinta do travessão. Vendo que o Tricolor não melhorou, Mancini sacou o apagado Helinho para a entrada de Nenê.

Pouco depois, em um dos momentos mais críticos do jogo, a equipe visitante abriu o placar. Aos 17 minutos, após lançamento de Volpi e desvio de Diego Souza, a bola bateu nas costas do zagueiro e sobrou para Pablo na entrada da pequena área. O atacante não perdoou e, com um chute forte, estufou as redes de Alex Alves.

Atrás no placar, o Massa Bruta partiu para o tudo ou nada. Aos 25, o meia Vitinho driblou Hernanes e arriscou de longe, exigindo grande defesa de Volpi. O São Paulo respondeu em seguida e confirmou seu triunfo. Aos 30 minutos, após Nenê cobrar escanteio pela esquerda, Arboleda saltou mais que todo mundo para testar firme e dar números finais à partida.

FICHA TÉCNICA
BRAGANTINO 0 X 2 SÃO PAULO 

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Data: 3 de março de 2019, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Tatiane dos Santos Camargo
Cartão Amarelo: Buiú, Juliano, Renan Paulino e Magno (Bragantino); Bruno Alves (São Paulo)
Cartão Vermelho: –
Gols:

SÃO PAULO: Pablo, aos 17, e Arboleda, aos 30 minutos do 2T

BRAGANTINO:Alex Alves; Buiú (Itaqui), Lazaro, Juliano e Acácio; Adenilson (Adriano Paulista), Magno, Renan Paulino e Vitinho; Wesley e Matheus Peixoto (Jardel).
Técnico: Marcelo Veiga

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Bruno Alves (Diego Souza), Arboleda e Anderson Martins; Igor Vinicius, Luan (Willian Farias), Hernanes e Léo; Antony, Pablo (Jonatan Gomez) e Helinho (Nenê).
Técnico: Vagner Mancini (interino)