Médico explica preparação e aponta experiência do Flamengo em altitude

Márcio Tanurre ressalta que é impossível ter uma preparação ideal para o jogo em Oruro.

Médico do Flamengo explica preparação do clube para jogar na altitude - Foto: Reprodução

Preocupada com a altitude de Oruro, na estreia na Libertadores, nesta terça, contra o San Jose, a diretoria do Flamengo preparou uma força-tarefa que envolve: vitaminas e exercícios respiratórios com os jogadores; escolta de ambulância durante toda a estadia em Oruro; 10 cilindros de oxigênio.

Os cilindros só serão usados em eventuais emergências e não serão exibidos para não assustar os atletas. A comissão técnica, inclusive, tem evitado comentar muito sobre a altitude para não influenciar negativamente os jogadores. O médico do Flamengo Márcio Tannure, no entanto, lembra que o Flamengo tem um time experiente, em que a maioria sabe bem o que é jogar na altitude.

- Acho que tudo influencia. Hoje temos um time experiente, a maioria já jogou na altitude. Eles sabem o que esperar. A fator surpresa não terá para muitos, o que atenua um pouco a dificuldade que irão encontrar. A gente sabe que ela é real, mas estamos tentando minimizar – conclui o médico do Flamengo - disse Tannure, em entrevista ao Redação SporTV.

Além disso, para minimizar os efeitos dos 3.700 metros, o Flamengo ficará em Santa Cruz de la Sierra – 400 metros acima do mar – até horas antes do jogo. O médico do Flamengo também comentou sobre a preparação específica para o jogo.

- Existe uma dificuldade de jogar na altitude, é real. Nosso desafio é minimizar os efeitos. Sabemos que não existe preparação ideal. O que estamos fazendo desde o início da pré-temporada é usar medicações e suplementações específicas. Além disso temos feito treinamentos e avaliações inspiratórias, para entendermos como a respiração inspiratória de cada jogador funciona – disse Tannure.