Renato Gaúcho prega atenção ao Rosário Central e alerta: “Uma hora vai vencer”

Treinador do Grêmio garante que o grupo está preparado para a estreia: "Não tem jogo fácil"

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio - Foto: Paula Menezes

O adversário do Grêmio, na estreia da Libertadores, é um dos três únicos adversários sobre os quais o Tricolor não somou um ponto sequer na história da competição: o Rosario Central. Foram duas derrotas em dois jogos. Pela frente, o Tricolor terá um adversário em crise, já que ainda não venceu ainda em 2019. No entanto, o técnico Renato Portaluppi garante que o grupo está atento para evitar qualquer soberba neste momento.

Antes da viagem para a Argentina, o treinador gremista procurou conversar atentamente com todos os jogadores. O principal objetivo era implantar na cabeça de cada um a ideia de que, embora a base do time esteja junto na quarta Libertadores consecutiva, este torneio é único e não permite erros. E eles passam, segundo o treinador, quando a equipe acredita que terá facilidades.

– Já tenho trabalhado a cabeça dos jogadores – diz Renato. – Mas tenho um grupo inteligente. Libertadores não tem jogo fácil. Independentemente do adversário, preparei minha equipe para tudo. Estamos conscientes da responsabilidade, ainda mais sendo uma estreia. A equipe deles quer se reabilitar tanto no (Campeonato) Argentino quanto na Libertadores.

O Central está há 12 jogos sem vencer. São oito jogos no Campeonato Argentino, dois do Torneio de Verão e dois da Copa Argentina. Tudo bem que, em um desses, empatou com o Gimnasia La Plata e se sagrou campeão nos pênaltis. Título que garantiu, justamente, a classificação a esta edição da Libertadores.

Porém, o outro empate em Copas Argentinas aconteceu na semana passada, com o Sol de Mayo, time da Terceira Divisão. Desta vez, as penalidades terminaram com a eliminação dos "canallas", como são apelidados. Com isso, quando entrar em campo no Gigante de Arroyito, o Central estará há 99 dias sem conhecer uma vitória. Renato espera que este jejum seja ainda maior:

— Uma hora vai vencer. Temos que tomar todos os cuidados. Já dei o exemplo do Corinthians, em que o adversário (Racing) jogou com dois titulares em São Paulo e empatou, e depois, com uma equipe totalmente diferente, empatou de novo. O Corinthians só passou nos pênaltis. Isso em uma Sul-Americana. Imagina numa Libertadores! Ainda mais contra argentinos, um caldeirão, a torcida jogando junto o tempo todo — alerta.

A delegação do Grêmio embarca para Rosário em voo fretado às 15h desta segunda-feira. Na terça-feira, realiza o reconhecimento do gramado e, na quarta-feira, entra em campo a partir das 21h30. Pode ser o primeiro ponto conquistado sobre o Central. Renato quer a primeira vitória.