Guerrero perde último recurso na Suíça, terá de pagar multa, mas pode voltar a jogar em abril

Tribunal Federal da Suíça divulgou que o peruano teve novo recurso rejeitado para a punição por doping.

- Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

O caso Paolo Guerrero teve um novo e derradeiro capítulo, mas que não altera a data em que poderá voltar a atuar e estrear pelo Inter, em 5 de abril. Nesta quinta-feira, o Tribunal Federal da Suíça divulgou que o peruano teve novo recurso rejeitado para a punição por doping.

Conforme o comunicado, Guerrero precisará arcar com os custos do processo, assim como uma multa. No total, terá de pagar US$ 15 mil, o equivalente a R$ 57 mil.

 

Em setembro do ano passado, os advogados de Guerrero entraram com recurso para tentar revogar a punição por doping, o que foi recusado. No entanto, a Justiça Federal da Suíça negou pedido de efeito suspensivo. No mês seguinte, o corpo jurídico do atacante ingressou no Tribunal Federal Suíço, com recurso no qual solicitava pedido de nulidade para a decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Guerrero manteve a forma em academias de Lima, no Peru, e só retornou ao Brasil em fevereiro deste ano. Com aval da Fifa e da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), foi liberado para treinamentos e integrou a rotina de trabalhos diários no Inter.

No Beira-Rio, o atacante recebeu uma pré-temporada especial para readquirir ritmo de jogo. Paolo Guerrero participou do primeiro jogo-treino pelo Inter, na última semana , no empate em 0 a 0 dos reservas colorados com o Sapucaiense, no CT do Parque Gigante.

Relembre o caso Guerrero

Guerrero foi suspenso por um ano por doping após o exame acusar a presença de um metabólito da cocaína em seu organismo, em outubro de 2017, no jogo contra a Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Em dezembro do mesmo ano, o jogador conseguiu a redução da pena para seis meses, o que permitiu voltar a vestir a camisa do Flamengo em maio de 2018 e o liberou para disputar o Mundial da Rússia.

O centroavante voltou a jogar em 6 de maio, apenas três dias após ser julgado em última instância pelo TAS, em Lausanne, na Suíça. Participou de três jogos do Flamengo no período, contra Inter, Ponte Preta e Chapecoense. Ainda em maio, o TAS ampliou a pena para 14 meses de suspensão. No entanto, o peruano conseguiu efeito suspensivo na Justiça da Suíça para disputar o Mundial de 2018.

O atacante disputou a Copa da Rússia pela seleção peruana, mas caiu na fase de grupos. Deixou a sua marca na vitória por 2 a 0 sobre a Austrália. Em julho, voltou ao Flamengo para aparecer em mais quatro compromissos pelo Brasileirão.

Sem acerto para permanecer na Gávea, assinou com o Inter por três temporadas, mas não chegou a estrear. Em 23 de agosto do ano passado, a Justiça da Suíça revogou o efeito suspensivo que dava ao atacante o direito de entrar em campo.