Chuva da trégua e empreiteira inicia aplicação do asfalto frio no Paineiras

A GMG Construtora vai usar no bairro o asfalto frio, mais barato que o CBUQ, mais um material adequado para uma região residencial.

Chuva da trégua e empreiteira inicia aplicação do asfalto frio no Paineiras - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Finalmente, após 90 dias de obras, a empreiteira aproveitou o domingo de sol e aplicou os primeiros 250 metros de pavimentação no Jardim das Paineiras, começando pela Rua Juvenizio Faustino Silvério, que se o tempo ajudar, até terça-feira terá sua extensão de 540 metros pavimentada.

A GMG Construtora vai usar no bairro o asfalto frio, mais barato que o CBUQ (usinado a quente), mais um material adequado para uma região residencial, onde predomina o tráfego de veículos leves e de passeio.

A pavimentação TSD (Tratamento Superficial Duplo), começou com a imprimação feita na pista onde foi feita terraplanagem, aplicou- se a emulsão asfáltica (o piche), sobre ela foi colocada pedra brita 1; fez-se  uma segunda aplicação de emulsão; colocou se uma camada de pedra brita 0 e sobre este material, houve aplicação de um terceiro banho de piche e por último no acabamento, o pó de asfalto.

O início do asfalto foi comemorado pelo vereador Kennedi Forgiarini, que reside no bairro e junto com outros moradores, trabalhou na coleta de assinaturas para adesão dos proprietários ao asfalto comunitário. Desde outubro os 136 proprietários que aderiram, estão pagando pelo asfalto em parcelas ou quitaram a vista. Em compensação, por cinco anos (a contar de 2019) estão isentos de pagamento do IPTU.

A empreiteira começou a trabalhar no bairro (com terraplanagem em janeiro) mas o cronograma atrasou porque só em fevereiro, a Artec Engenharia (contratada pela Sanesul), iniciou a implantação a rede de esgoto.

O projeto do asfalto comunitário no Jardim das Paineiras contempla pavimentação e drenagem nas Ruas Rozendo Guardiano, Sonia de Almeida Hortêncio, Pascoala Riquelme, Luiz Bretan, Juvenizio Faustino Silvério, Elcinda de Souza e Avenida Antero Lemes da Silva. Implantação de 500 metros de drenagem e 2,43 quilômetros de asfalto. Dos 160 proprietários, 136 assinaram contrato com a empresa.

A GMC, empresa sediada em São Gabriel do Oeste, venceu a licitação com o orçamento de R$ 1.411,540,34, o que corresponde a um custo médio de R$ 83,78 o metro quadrado. Deste total, 20%, R$ 282,31 mil é o valor que corresponde a contrapartida da Prefeitura, enquanto os moradores vão dividir (na proporção da largura dos lotes que sejam proprietários) a parcela complementar de R$ 1.129.230,34. Com isto, os proprietários de terrenos de 12 metros de testada, vão pagar em média R$ 3.217,44, à vista ou com acréscimo de 10% em até 12 parcelas, com 30% de entrada.