Vacinação contra gripe começa quarta-feira com crianças e grávidas

Em Sidrolândia a meta é imunizar 10.129 pessoas do público-alvo. Em MS público alvo é formado por 795 mil pessoas.

A partir do dia 22 começarão a ser vacinadas os idosos e os demais grupos. - Foto: Divulgação

Começa na próxima quarta-feira a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (Gripe) que se estenderá de 10 de abril até 31 de maio, sendo o dia 4 de maio o “Dia D: Dia de Mobilização Nacional”. Em Mato Grosso do Sul o público alvo é formado por 795 mil pessoas e a meta é atingir 90% do público alvo. Inicialmente serão imunizadas grávidas e puérperas, crianças de seis meses a seis anos de idade. A partir do dia 22 começarão a ser vacinadas os idosos e os demais grupos.

Em Sidrolândia a meta é imunizar 10.129 pessoas do público-alvo: pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis a menores de 5 anos; gestantes; as puérperas (até 45 dias após o parto); os trabalhadores da saúde; professores da rede públicas e privadas, os povos indígenas e os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. A vacina será oferecida nas Unidades Básicas de Saúde.

Em 2018, Mato Grosso do Sul atingiu 92,68% de cobertura vacinal, com 573.562 pessoas vacinadas. No Brasil foram vacinados 90,87% do público alvo.

As estratégias de vacinação no Brasil, conforme o Ministério da Saúde, são decisões respaldas em bases técnicas, científicas e logísticas, evidência epidemiológica, eficácia e segurança do produto. As campanhas têm contribuído na redução da mortalidade em indivíduos portadores de doenças crônicas, tais como doença cardiovascular, acidente vascular cerebral (AVC), doenças renais, diabetes, pneumonias e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), dentre outras.

A influenza, popularmente conhecida como gripe, é uma doença respiratória infecciosa, de origem viral, que pode levar ao agravamento e até ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção. Entre as possíveis condições de risco para a ocorrência de complicações por influenza, a presença de pelo menos uma comorbidade é a mais frequente entre os acometidos.