Presidente de Sindicato da Agricultura Familiar é destituída e deixa o cargo dia 28

Além de deliberar pela destituição de diretoria, a assembleia geral não autorizou a venda da sede da entidade.

Presidente do Sindicato da Agricultura Familiar, Rosa Marques, foi destituída do cargo - Foto: Vanderi Tomé/Região News

No cargo há aproximadamente 20 anos, a presidente do Sindicato da Agricultura Familiar, Rosa Marques, foi destituída do cargo, junto com toda a diretoria. A decisão foi tomada neste domingo em assembleia geral que marcou para o próximo dia 28 a eleição de uma diretoria provisória que vai administrar a entidade até setembro quando será realizada a eleição.

Além de deliberar pela destituição de diretoria, a assembleia não autorizou a venda da sede da entidade, avaliada em R$ 250 mil. Os 170 associados que estiveram presentes não se convenceram com os argumentos da presidente de que usaria o dinheiro da venda para quitar R$ 200 mil em dividas da entidade, com a Receita Federal e a Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura) referente as contribuições que não estariam sendo pagas há 20 anos.

O vice-presidente do Sindicato, Osvaldo Barbosa, diz que nos últimos dois anos a entidade acumulou una receita de R$ 400 mil, computando a arrecadação dos 170 associados pagantes (que pagam todo mês R$ 25,00) e os R$ 90 mil obtidos com a venda da outra sede do sindicato.

A diretoria, segundo Barbosa, é alvo de investigação do Ministério Público, que cobra prestação de conta do dinheiro levantado com a venda do outro imóvel do Sindicato e na Polícia Federal, onde foi denunciado que acampados teriam sido pressionados a transferir o domicílio eleitoral para Sidrolândia, caso quisesse permanecer na lista de espera para receber lotes da reforma agrária.