Deputado faz grafismo no rosto e participa de danças durante as comemorações do Dia do Índio em Sidrolândia

O parlamentar participou das comemorações alusivas ao Dia do Índio na comunidade indígena da aldeia urbana, Tereré.

Deputado estadual progressista, Gerson Claro participou das comemorações na Aldeia Tereré - Foto: Divulgação

O deputado estadual progressista, Gerson Claro, passou boa parte da manhã de sábado (20) na cidade de Sidrolândia, onde já atuou na área educacional da rede municipal de ensino como professor de história. O parlamentar, acompanhado de assessores, participou das comemorações alusivas ao Dia do Índio na comunidade indígena da aldeia urbana, Tereré.

As celebrações foram transferidas do dia 19, data em que se comemora oficialmente a cultura dos povos indígenas, em virtude do feriado religioso cristão que relembra a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no Calvário; a Sexta-Feira Santa, para o dia 20, sábado. Com adornos na cabeça e grafismo pelo corpo que diferenciam clãs e famílias, Guerreiros lembraram da resistência terena que retomaram a área na reserva Buriti. As tintas são feitas a partir de elementos naturais como urucum, jenipapo e açafrão.

Gerson Claro celebrou as comemorações indígenas na cidade Sidrolândia porque, além da ligação familiar que tem com o município, a cidade se tornou palco de um dos conflitos mais violentos dos últimos anos com a morte em maio de 2013, do guerreiro Oziel Gabriel, da aldeia Córrego do Meio, durante confronto com policiais federais na desocupação da fazenda Buriti.

“Tenho prazer de vir a Sidrolândia e visitar meus irmãos indígenas. São pessoas simples vocacionados na lida com a terra. Muitos foram meus alunos na época em que lecionava no município. Ou seja, tem uma relação estreita e de amizade com as principais lideranças da comunidade”, comenta.

Para o deputado, as cinco aldeias de Sidrolândia necessitam de uma assistência maior do Poder Público. “Das três escolas existentes nas comunidades, nenhuma dispõe de estrutura adequada para prática esportiva como quadra coberta", lembra o deputado. O vereador Otacir Figueiredo (PSB), também lembrou das cobranças que tem recebido sobre o caso.

“Ser vereador e representar meu povo é uma grande honra, mas muitas das reivindicações se esbarram na falta de recursos. Temos problemas graves com estradas, escoamento da produção e principalmente na área educacional”, conta o vereador que se vê de mãos atadas.

Cara pintada

Se sentindo em casa, Gerson Claro fez grafismo no rosto, lembrou durante discurso da luta pela terra e disse ser conhecedor dos problemas, vai fazer gestão política junto ao Governo do Estado e órgãos do Governo Federal em busca de melhorias para as comunidades. Durante as celebrações tradicionais, o deputado até ensaiou uma das danças acompanhado de guerreiros. "Não sou um bom dançarino", brincou.