Indignado com incentivo só para empresas de fora, Pavei ameaça rasgar título

Empresário Dalto Pavei cobra da Prefeitura tratamento igualitário para os comerciantes já instalados em Sidrolândia.

Empresário Dalto Pavei em entrevista ao RN - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O anúncio que está em tramitação na Câmara de Sidrolândia do projeto que concede incentivos fiscais acima de R$ 362 mil, para o Grupo ABV instalar um Atacarejo na Avenida Dorvalino dos Santos, provoca uma reação indignada do empresário Dalto Pavei, que gera quase 200 empregos diretos com suas empresas.

Pavei cobra da Prefeitura tratamento igualitário. “Por que só para duas empresas. Tapete vermelho só para quem vem de fora?”, questionou em tom de desabafo em postagem nas redes sociais”.

O empresário já manteve contato com vários vereadores e admitiu a possibilidade de rasgar o título de cidadão sidrolandense, caso a isenção fiscal (que atenderá também um hotel em construção na saída para Campo Grande) seja aprovada e não se dê o mesmo tratamento aos empresários já estabelecidos na cidade interessados em investir na expansão dos seus negócios.

Pavei que investiu R$ 7 milhões na construção do prédio da faculdade e está construindo um supermercado no Bairro São Bento diz que nunca recebeu qualquer incentivo da Prefeitura. “Está na hora do comércio, que é o segundo maior gerador de empregos da cidade, se mobilizar na defesa dos seus interesses”.

Pavei ressalta que é natural a chegada de novos estabelecimentos comerciais. “Não sou contra a concorrência”, assegura. Dalto acha injusto que os empresários com lojas na Dorvalino dos Santos, caso dele, pagam IPTU mais caro que o cobrado em Campo Grande, R$ 253,40 o metro quadrado, enquanto uma empresa de fora ganha três anos de isenção de IPTU, quase R$ 39 mil de renúncia fiscal.

“Tenho certeza que se os comerciantes, donos de supermercados e hotéis, tivessem o mesmo incentivo, investiriam, até dobrando o atual número de empregos”.