Justiça ordena prisão de cozinheira acusada de ter matado mulher em 2017

Cozinheira da Escola Catarina de Abreu foi presa na semana passada suspeita de matar uma mulher em Maracaju.

O corpo da vítima foi encontrado enrolado em papel filme e parcialmente carbonizado. - Foto: Robertinho - Maracaju Speed

Uma cozinheira da Escola Catarina de Abreu foi presa na semana passada suspeita de matar uma mulher e abandonar o corpo nas margens da MS-162 em Maracaju. O corpo da vítima foi encontrado enrolado em papel filme e parcialmente carbonizado. Uma equipe da Polícia Civil da cidade vizinha cumpriu a ordem judicial em Sidrolândia e acabou prendendo Carina Beatriz.

O crime ocorreu no dia 27 de fevereiro de 2017. O corpo foi encontrado por volta das 6h30, quando uma pessoa que passava pelo local ligou para o Corpo de Bombeiros e avisou sobre a situação.

A mulher aparentava ter entre 18 e 25 anos, estava vestida, mas por baixo da roupa, o corpo estava completamente embrulhado com papel filme. A vítima tinha pele branca, cabelo vermelhos e não tinha tatuagens. Não há mais detalhes sobre o caso que corre em segredo de Justiça.