Rogério Ceni conversa com o Atlético-MG, mas decide continuar no Fortaleza

Galo não chegou a formalizar proposta ao técnico, que tem preocupações com a saúde do pai e, por isso, não acha bom momento para iniciar novo trabalho

Rogério Ceni, técnico do Fortaleza — - Foto: Thiago Gadelha / Diário do Nordeste

Rogério Ceni vai continuar no Fortaleza. O Atlético-MG não chegou a formalizar uma proposta ao técnico. Houve uma conversa com o diretor de futebol Rui Costa, mas Ceni optou por permanecer no clube onde conquistou a Série B do Campeonato Brasileiro em 2018 e o título cearense no último domingo.

A principal razão da decisão é pessoal. Seu pai enfrenta problemas de saúde e Ceni tem dedicado, mesmo à distância, tempo e preocupações com ele.

O técnico não se vê em condições, neste momento, de fazer uma imersão completa num novo clube, em que ele precisaria conhecer o elenco e a estrutura, e avaliar as necessidades para atender as expectativas de, pelo menos, disputar uma vaga na Libertadores de 2020. Tudo isso em meio a jogos consecutivos, sem possibilidade de treinos em sequência.

No Fortaleza, embora reconheça dificuldades para se manter na Série A, por causa do elenco curto e de questões estruturais, Ceni tem uma rotina absolutamente dominada por sua comissão técnica e pela maior parte do elenco. O técnico está no clube desde janeiro de 2018.

Rogério ficou bastante contente com o interesse do Galo. Ele reconhece uma grande oportunidade, mas entende que, além das dificuldades pessoais do momento, também pode ampliar seus feitos no Fortaleza caso conquiste a Copa do Nordeste – disputará a semifinal com o Santa Cruz, no dia 9 de maio – e faça boa campanha no Brasileirão.

Avesso a muitas mudanças profissionais – passou os 25 anos da carreira profissional como goleiro no São Paulo –, Ceni também tem conquistado o torcedor do Fortaleza, que, durante a comemoração do título estadual no último domingo, pediu em coro sua permanência.

Enquanto isso, no Galo, o discurso é de tranquilidade na busca pelo novo comandante. O clube já ouviu um "não" de Tiago Nunes, do Athletico-PR e, agora, de Ceni. Rodrigo Santana, o treinador interino, está prestigiado com a diretoria, que entende que o time, apesar dos resultados ruins, mostrou evolução nos últimos três jogos.

A direção atleticana, capitaneada pelo presidente Sérgio Sette Câmara e pelo diretor de futebol Rui Costa, não está no mercado em busca apenas de um novo técnico. O Galo também busca a contratação de dois ou três novos atletas para a disputa do Brasileirão.