Gripe avança e Estado tem 20% novas notificações em uma semana

Os números apontam aumento de 20% em relação as ocorrências suspeitas da doença apresentadas na semana passada, 251.

- Foto: Divulgação

Dados divulgados na manhã desta quinta-feira (25) pela Secretaria de Estado de Saúde mostram que Mato Grosso do Sul possui 302 notificações de gripe, um óbito e três casos confirmados, dois deles de H1N1 e outro de H3N2. 

Os números apontam aumento de 20% em relação as ocorrências suspeitas da doença apresentadas na semana passada, 251.

Três Lagoas, com os dois casos positivos de H1N1, e Corumbá, que registrou no início do ano o óbito por H3N2, são os municípios com a doença já confirmada no Estado. 

VACINAÇÃO

A vacinação é um dos meios de prevenção da doença. 

A meta este ano é imunizar 90% do público alvo. As estratégias de imunização foram repassadas nno dia 5 para gerentes, enfermeiros, técnicos e administrativos das unidades da Secretaria Municipal da Saúde.

A previsão é de que o Ministério da Saúde disponibilize para Campo Grande 219 mil doses  da vacina durante toda a campanha, que serão repassadas de forma programada seguindo cronograma pré-estabelecido em conformidade com a Secretaria de Estado da Saúde.

Fazem parte dos grupos que podem tomar a vacina na rede pública as puérperas, trabalhadores em saúde, professores, população indígena com idade a partir de 6 meses, idosos com idade a partir de 60 anos, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estejam sob medida socioeducativa, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, além de pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

Crianças com idade entre seis meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes também entram entre os prioritários. 

O Ministério da Saúde vai enviar 859.500 doses de vacinas contra a gripe para Mato Grosso do Sul. A informação foi anunciada pelo ministro Luiz Henrique Mandetta, no início do mês.

PREVENÇÃO

A influenza, popularmente conhecida como gripe, é uma doença respiratória infecciosa, de origem viral, que pode levar ao agravamento e até ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção.

Entre as possíveis condições de risco para a ocorrência de complicações por influenza, a presença de pelo menos uma comorbidade é a mais frequente entre os acometidos.

Confira abaixo algumas medidas de prevenção contra a Influenza. 

- Higienizar as mãos com frequência;

- Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

 - Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

- Higienizar as mãos após tossir ou espirrar; 

- Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

- Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;

- Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;

-Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;

- Evitar visitas a hospitais;

- Ventilar os ambientes