Sepultado jovem de Sidrolândia morto na Capital em confronto com a PM

Alexandre, junto com o irmão e uma terceira pessoa, teria tramado e colocado em prática o chamado golpe do falso frete.

Alexandre Tavares, de 17 anos morreu a caminho do hospital - Foto: Reprodução/Facebook

O jovem Alexandre Tavares, de 17 anos, foi sepultado na tarde deste domingo no Cemitério São Sebastião em Sidrolândia, onde a família dele mora. Alexandre foi morto sexta-feira à noite em Campo Grande em confronto com a Polícia Militar.

Alexandre, junto com o irmão, também adolescente e uma terceira pessoa, teria tramado e colocado em prática o chamado golpe do falso frete. Eles fizeram um motorista refém e o mantiveram amordaçado em cativeiro numa pousada no centro da cidade, enquanto o terceiro comparsa (homem de 32 anos) levaria o caminhão para Bolívia, onde o veículo seria trocado por droga.

Conforme a versão da Polícia, o jovem teria sido flagrado nesta pousada na Rua Maracaju, onde, com a conivência da proprietária, ele e o irmão improvisou num dos quartos o cativeiro do motorista. Armado de um revólver calibre .32, Alexandre foi encarregado de vigiar o refém e acabou morto ao tentar reagir a prisão quando foi abordado pelos policiais. Ferido, morreu a caminho do hospital. O irmão dele foi aprendido, enquanto o terceiro envolvido e a gerente da pousada, foram presos.

Alexandre tinha uma extensa biografia de atos infracionais, ficou um período cumprindo pena socioeducativa na UNEI Dom Bosco onde tomou contato com pastores da Igreja Universal que atuam no sistema prisional, na tentativa de ressocializá-los. Teria se convertido ao evangelho e seu testemunho foi mostrado num dos programas da igreja transmitidos em rede nacional. As circunstâncias da sua morte, envolvido numa investida criminosa, causou comoção entre os frequentadores da igreja na cidade.

O golpe

Troca de tiros aconteceu em frente a pousada. (Foto: Marcos Ermínio)

Se passando por clientes, Alexandre e os demais comparsas, contrataram o caminhoneiro para um frete e combinaram de encontrá-lo no Núcleo Industrial. No local, a vítima foi surpreendida por dois homens, que chegaram em um Chevrolet Kadett vermelho, e armados anunciaram o assalto.

O caminhoneiro então foi rendido, colocado no carro dos criminosos e levado até uma pousada na Rua Maracaju, quase esquina com a Avenida Calógeras. A cena, no entanto, foi flagrada por uma pessoa que passava pela rua e decidiu chamar a polícia depois de ver os suspeitos colocarem um saco na cabeça da vítima.

Uma equipe da Polícia Militar foi ao local em que o caminhão estava, encontrou o veículo ainda estacionado, todo aberto e iniciou as buscas pela vítima.