Ovacionado, Sampaoli agradece apoio de santistas: 'Alegria muito grande'

Técnico foi o mais exaltado pela torcida na Vila Belmiro após a vitória sobre o Flu

Sampaoli faz gesto de agradecimento na Vila: nas graças da torcida do Santos - Foto: Guilherme Dionízio/Código19/Estadão Conteúdo

Eduardo Sasha e o uruguaio Carlos Sánchez marcaram os gols do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, na noite de quinta-feira, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, mas o mais exaltado pelos cerca de 10 mil torcedores que foram à Vila Belmiro acabou sendo Jorge Sampaoli. Idolatrado pelos santistas, o treinador agradeceu o apoio de fãs que, nas suas palavras, gritaram por craques como Pelé e Neymar no passado.

"É uma alegria, gosto muito dessa cidade, me sinto muito bem. A torcida do Santos gritar meu nome é ótimo. Gritaram por Pelé e Neymar e agora gritam por mim. É uma alegria muito grande", afirmou Sampaoli, em entrevista coletiva.

Contratado pelo Santos no fim de 2018, Sampaoli soma 15 vitórias cinco empates e seis derrotas em 26 jogos oficiais à frente do time. A equipe caiu na primeira fase da Copa Sul-Americana e nas semifinais do Campeonato Paulista, quando foi aplaudida após o revés nos pênaltis para o Corinthians, mas está garantida nas oitavas de final da Copa do Brasil e venceu os dois duelos que disputou no Brasileirão.

O jogo contra o Fluminense marcou um encontro com Fernando Diniz considerado um dos treinadores mais inventivos do futebol brasileiro. Sampaoli elogiou o comandante do time carioca pelo estilo de jogo adotado e relembrou que eles haviam estado juntos recentemente, em seminário na sede da CBF no Rio.

"Temos visões do futebol parecidas. Nos atrai o jogo com a bola, depois há características diferentes entre ele e eu. Falei com ele no congresso da CBF, me pareceu uma pessoa que ama o jogo. Compartilhei futebol com ele e foi muito interessante. Me agrada muito pelo modo como sente e pratica o esporte. A Equipe saiu jogando sempre, tiveram mais posse, principalmente no primeiro tempo. Não tem posição fixa. É um treinador que gosto de ver, sempre pensa em jogar", disse.

O Santos está com seis pontos no Brasileirão, assim como o líder São Paulo e o Atlético Mineiro, com quem divide o segundo lugar. O time voltará a jogar no domingo, quando visitará o CSA, no Rei Pelé, pela terceira rodada do torneio.