Diagnosticada com leucemia, servidora pública precisa de sangue O positivo

Amanda está internada desde a última terça-feira, dia 30. Ela foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda no último dia 04.

Amanda dos Santos Lopes foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda considerada rara no país - Foto: Reprodução/Facebook

A servidora pública Amanda dos Santos Lopes, 33 anos, está internada no Hospital Regional Rosa Pedrossian em Campo Grande se tratando de uma leucemia e necessita com urgência de sangue O+ e plaquetas de qualquer tipo sanguíneo. O doador precisa ir até o HR, das 7h às 12h, e doar sangue e plaqueta em nome da servidora.

Amanda está internada desde a última terça-feira, dia 30 de abril. Ela foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA) no último dia 04. Segundo informações de familiares os sintomas começaram em dezembro passado. Sentindo fortes dores, Amanda procurou atendimento médico e inicialmente recebeu o diagnóstico de Fibromialgia, dando início a um tratamento.

Há aproximadamente 30 dias precisou se afastar das atividades que exerce como assistente educacional no CMEI Michele Canejo no Pindorama, por aumentar as dores. Procurou o Hospital Rosa Pedrossian onde está internada desde então. Nos próximos dias deve dar início a quimioterapia.

Doação - Para doar sangue é preciso ter um documento oficial com foto, como carteira de identidade e de motorista. Caso tenha idade entre 16 e 17 anos, o doador tem que estar acompanhado de pai ou mãe ou responsável legal, ou então pode retirar na unidade de doação um modelo de declaração, levar para mãe ou pai ou responsável legal assinar e então reconhecer firma desta assinatura.

Caso o menor de idade seja emancipado pode doar sozinho levando um documento de emancipação. Se for casado deve levar a certidão de casamento que já é suficiente para a liberação. Também é importante lembrar que a primeira doação somente pode ser feita até 60 anos. Acima desta idade, apenas para quem já é doador de sangue.

O doador precisa estar bem alimentado para doar sangue. Como muitos pensam não se pode doar sangue em jejum. É recomendado que se alimente bem, porém, de forma saudável.

Homens podem doar até quatro vezes ao ano com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com um intervalo mínimo de três meses. Após os 60 anos tanto homens como mulheres devem obedecer ao intervalo mínimo de seis meses.