Desafio do PSDB é eleger 50 dos 79 prefeitos nas eleições de 2020

Meta do partido é ganhar musculatura nos municípios para ajudar na sucessão estadual.

Sérgio de Paula assume o comando do PSDB com novas missões para as eleições de 2020 - - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

PSDB deixa convenção regional com alguns desafios para as próximas eleições, a fim de não perder o domínio da maioria das 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul. O partido espera eleger 50 administradores municipais. No sábado (4), a legenda entrou na convenção com 36 prefeitos e saiu com 37. O novo presidente da legenda e secretário especial de Articulação Política, Sérgio de Paula, espera fechar o ano com 41. A missão é garantir, no mínimo, o controle das 41 prefeituras nas eleições de 2020 ou, na melhor das hipóteses, ampliar esse número para 50, para dar sustentação à sucessão estadual.

O partido só não deve lançar candidato a prefeito em Campo Grande. O compromisso do governador Reinaldo Azambuja é de apoiar a reeleição do prefeito Marcos Trad (PSD). Este assunto será colocado em discussão definitivamente em abril do próximo ano. O que houve, por enquanto, é a conversa de Azambuja com Marcos sobre o apoio. Os tucanos indicariam o candidato a vice-prefeito.

Para cumprir a meta de dar mais musculatura ao partido com as eleições municipais, Sérgio de Paula contará com a mobilização da militância e da participação efetiva do governador. 

Ele reconhece a dificuldade de participar de processo eleitoral com a meta de eleger grande número de prefeitos, mas está confiante do êxito nas urnas. “A responsabilidade aumenta, mas não tenho nenhuma preocupação com a militância que nós temos, com os deputados estaduais e deputados federais”, afirmou.

Sérgio de Paula destacou que o PSDB lançou 56 candidatos a prefeitos em 2016. Desta vez, o plano é concorrer às prefeituras com 55 a 60 candidatos. “Acho tamanho ideal, porque temos de respeitar os nossos aliados. Isso é muito importante”, ressaltou o dirigente partidário.

O prefeito de Selvíria, José Fernando Barbosa dos Santos, compareceu ontem à convenção como filiado ao PSB e saiu com ficha assinada no PSDB. “Eu mudei por causa da conjuntura do Estado, pelo convite do governador e por ser, também, a melhor opção para o município estar em um partido estável”, justificou. 

José Fernando encontra ainda no PSDB a guarida e apoio do governador para concorrer à reeleição em 2020. “Para mim, é o melhor cenário, porque vou tentar a reeleição”, afirmou o prefeito.

O deputado federal Beto Pereira, que transmitiu o cargo a Sérgio de Paula, disse ter cumprido a missão na presidência. Ele destacou as eleições de 2018 como sendo o maior desafio da sua gestão, quando reelegeu Reinaldo Azambuja ao governo, elegeu dois deputados federais e uma grande bancada na Assembleia Legislativa.

Na convenção, o prefeito de Rio Verde, Mario Kruger (PSC), não vai disputar a reeleição por estar no segundo mandato, mas assegurou estar alinhado ao grupo de Azambuja. “Não estou no PSDB hoje, mas eu sou Reinaldo e sou Rose [Modesto], aonde eles estiverem, eu vou”, comentou.

O prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB), vai concorrer à reeleição, contudo, prevê dificuldades. “Não tem reeleição fácil, não tem eleição fácil. É uma soma de trabalho, habilidade política para construir alianças”, comentou Peluffo.