Semana da Enfermagem propõe reflexão sobre saúde mental dos profissionais que atuam na área

As atividades serão encerradas na próxima sexta-feira (10), com a “caminhada pela cultura da paz e não violência”.

Farmacêutico Thiago Prata durante palestra no Salão de Múltiplo Uso. - Foto: Assessoria de Imprensa

Refletir sobre a saúde mental dos profissionais da área é a proposta da 7ª Semana da Enfermagem e Trabalhadores da Saúde que está acontecendo em Sidrolândia. Desde a segunda-feira (06) estão sendo realizadas palestras, minicurso e outras atividades no Salão de Múltiplo Uso da Assistência Social. A palestra que marca o ato oficial da semana que tem como tema “Cuidando de quem Cuida”, acontece nesta quinta-feira (09) às 13 horas na Câmara.

As atividades serão encerradas na próxima sexta-feira (10), com a “caminhada pela cultura da paz e não violência”. A passeata terá início às 07 horas na Praça Tancredo Neves no Bairro São Bento e segue até a Praça Central. O lema deste ano é “Sidrolândia pela Paz”.

Neste ano as ações estão sendo voltadas para a saúde mental dos profissionais que trabalham diretamente na área. Para o palestrante e farmacêutico Thiago Prata, é de suma importância abordar o tema, já que os funcionários lidam diariamente com pessoas enfermas. Ele destaca que além de preparo técnico é ter o psicológico.

“Profissionais que cuidam de pessoas doentes tem uma sobrecarga psicológica muito grande, então essas pessoas precisam ser aparadas, acolhidas e tratadas quando for o caso”, comenta.

Prata ainda destaca que toda educação continuada, leva a valorização profissional. “Os colegas precisam se sentirem reconhecidos, que o trabalho deles é importante, mas que precisa ser aperfeiçoado, o que nós já aprendemos precisa ser reciclado, retomado”, frisa.

Thiago ainda afirma que o maior beneficiário das palestras é o paciente. “O principal beneficiado é o paciente que vai ter um atendimento de maior qualidade, por termos um serviço com profissionais capacitados e principalmente psicologicamente preparados para atendê-los da melhor forma”, finaliza.

A diretora administrativa da UPA e do Samu em Sidrolândia, enfermeira Cleide Roque Machado, acredita que as ações possam contribuir na diminuição dos índices de suicídio e depressão. Uma das principais causas é a sobrecarga no trabalho, enfrentada por muitos profissionais. Cleide lembra que atualmente com a rotina exaustiva enfrentada pela população, muitos acabam perdendo a tolerância e o respeito pelos, enfermeiros e médicos.

“Hoje vemos pessoas chegando nos locais de saúde, unidades 24 horas e nos hospitais com uma carga emocional trazida de casa, muitas vezes eles já chegam agredindo e isso é um problema muito sério, porque o funcionário ali também é um ser humano”, destaca Cleide que afirma que o respeito tem que ser recíproco.

"Nós temos que ter respeito e aprender a tratar uns aos outros como cidadão de bem, como seres humanos, como pessoas que vieram para esse mundo para evoluir, para ser melhor, então a gente está retomando esse caminho, resgatando os nossos funcionários".

Para as técnicas de enfermagem Neide Guedes e Idalina Araujo, as atividades contribuem tanto para motivação como aprendizado. Neide atua como técnica de enfermagem há 30 anos, atualmente atende no ESF Cascatinha, já Idalina atua na unidade São Bento.

Técnica de enfermagem Neide Guedes atua há 30 anos na área.