Com reajuste de maio, salário do professor atingirá 80,19% do piso nacional do magistério

Se hoje o piso salarial do nível 1, corresponde a 77,73% do piso nacional por 40 horas, a partir de maio, sobe para R$ 1.969,16.

319 professores concursados da Prefeitura de Sidrolândia, somarão neste ano 7,29% de aumento acumulado - Foto: Marcos Tomé/Região News

A partir de maio, quando devem receber (junto com os demais servidores) mais 3% de reajuste, os 319 professores concursados da Prefeitura de Sidrolândia, somarão neste ano 7,29% de aumento acumulado (somando-se os 4,17% aplicados em janeiro).

Se hoje o piso salarial do nível 1 (R$ 1,911.81) por 20 horas, corresponde a 77,73% do piso nacional por 40 horas (R$ 2.455.35), a partir de maio, sobe para R$ 1.969,16, 80,19% do piso. Não há professores de nível um (os antigos normalistas) em atividade, porque desde 2011, a licenciatura (curso superior) é pré-requisito para atividade do magistério no ensino fundamental. O salário do nível é um indexador da remuneração de todo o magistério.

O salário inicial de quem está no nível 2 (professor licenciatura plena) ganha 20% em relação ao nível 1 e quem tem pós-graduação, nível 2,35% a mais. Assim, quem tem faculdade, de R$ 2.294,17 passa a receber R$ 2.362,99. Se hoje, o salário do nível 1 fosse igual ao piso nacional (R$ 2.455,35), quem está no nível, receberia R$ 2.946,42, 20% a mais.

Mantida a correção do piso deste ano (4,17%), em 2026, o piso nacional será de R$ 3.117.36 e o piso do nível dois será de R$ 3.128.64, enquanto os professores de nível 3 (que representam mais de 70% da categoria) ganhará R$ 3.754,36, sem contar o adicional por tempo de serviço. A cada três anos de trabalho, o professor muda de letra e ganha mais 3%. No mês passado, a folha bruta do magistério somou R$ 1,1 milhão.