Prefeito pede a vereadores aprovação rápida do projeto que autoriza empréstimo de R$ 11,5 milhões

Prefeito, conclamou os vereadores a aprovarem o projeto em que o Executivo pede autorização para contratar empréstimo.

Prefeito de Sidrolândia, Marcelo Ascoli, conclamou os vereadores a aprovarem projeito. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Com a maioria recomposta na Câmara, o prefeito de Sidrolândia, Marcelo Ascoli, conclamou os vereadores a aprovarem o mais rápido possível, o projeto encaminhado no dia 15 de abril, em que o Executivo pede autorização para contratar empréstimo junto à Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 11,5 milhões, para comprar equipamentos destinados à Secretaria de Infraestrutura, reforma de quatro escolas municipais, reforma do terminal rodoviário e construção de uma ciclovia e pista de caminhada na Avenida Antero Lemes.

Em mensagem distribuída por sua assessoria de imprensa, o prefeito informa que o município se habilitou a buscar os recursos de uma nova linha de crédito aberta pela Caixa Econômica, o FINISA (Financiamento de Infraestrutura e Saneamento), com as melhores taxas de juro do mercado e prazo de amortização. “A economia que vamos obter com a manutenção dos caminhões e equipamentos, vamos pagar as parcelas”, afirma o prefeito.

Conforme o planejamento da Prefeitura, com o dinheiro do FINISA, serão adquiridos 8 caminhões basculantes; duas patrolas; um retro escaveira; uma escavadeira hidráulica; um caminhão–pipa; um caminhão prancha usado para o transporte das máquinas; um caminhão comboio (usado para lubrificação); dois rolos compactador, além de um caminhão destinado ao transporte dos funcionários.

Para a área da Educação serão reservados R$ 3,2 milhões, para a reforma das escolas municipais Pedro Aleixo, Olinda Brito de Souza; Valério Carlos da Costa e Natália Moraes de Oliveira, abrangendo instalações elétricas, hidráulicas, pintura geral e acessibilidade. O empréstimo contemplará também a implantação de 6 quilômetros de ciclovia e pista de caminhada ao longo da Avenida Antero Lemes.

Conforme os articuladores políticos do prefeito, o Executivo dispõe dos votos necessários para aprovação do projeto (8 ou até 9), mas é preciso que a proposta seja colocada na pauta de votação para que o plenário possa deliberar. Esta é a segunda vez que Marcelo Ascoli vem a público para cobrar do Legislativo rapidez na votação de projetos encaminhados pelo Executivo. Há algumas semanas, ele fez uma manifestação (na ocasião mais incisiva) para que fosse aprovado o projeto que aumenta de 10 para 35% a suplementação do orçamento.