Em 3 meses, participantes do ‘Sidrolândia mais Saudável’, perderam 139 quilos

Participantes que conseguiram encerrar o 2º ciclo do projeto “Sidrolândia mais Saudável”, conseguiram perder 139 quilos.

Grupo participante do 2º ciclo do projeto “Sidrolândia mais Saudável” - Foto: Assessoria de Imprensa

Após três meses de exercícios e orientação de profissionais para mudar os hábitos alimentares, os participantes que conseguiram encerrar o 2º ciclo do projeto “Sidrolândia mais Saudável”, iniciado em fevereiro com 80 inscritos, conseguiram perder 139 quilos e exibiram com orgulho os progressos contra a balança, num evento realizado no Ginásio Brizolão.

O prefeito Marcelo Ascoli testemunha que muitas pessoas emagrecem, deixam de usar remédio para pressão alta, para diabete, para depressão, se sentem mais felizes, simplesmente porque passaram a praticar atividade física, alteraram hábitos alimentares. Quem passou por esta experiência foi Ana Paula Cristaldo, 29 anos, moradora na Vila Carinhosa, terceira colocada entre as participantes que perdeu 9 quilos. “O professor incentiva bastante a gente, não deixa perder o foco”.

A professora Elizandra Daiani, 36 anos, aconselha quem tiver um “tempinho” sobrando participar do projeto. “As dores no corpo elas desaparecem, você cria mais resistência. A gente fica muito leve, sorri mais. Quem está se sentindo incomodado com o seu peso, com o seu corpo, faça, se inscreva no próximo e pratique, crie uma obrigação de vir, não falte, porque se faltar um ou dois dias desanima de novo, frequenta o projeto que vale a pena”. Elizandra perdeu quase 5 quilos durante o projeto e pretende continuar praticando em uma turma particular na academia.

“Mudei totalmente o sedentarismo, criei um hábito muito bom de fazer esporte todos os dias, quando era feriado eu vinha caminhar igual, claro que vou te que ter uma evolução daqui para frente, mas assim o projeto foi muito bom pra mim porque eu estava me sentindo muito desanimada, eu estava no meu ápice de gordura, as roupas não estavam mais entrando, eu me olhava no espelho estava me sentindo desanimada, tinha fechado a boca, mas só com a dieta sem exercício físico a gente fica um mês no máximo e desanima, então o projeto fez com que eu continuasse”.

Para a participante Eliane Rodrigues, 42 anos, do bairro Jandaia, o projeto foi mais do que ela esperava, porque incentivou as pessoas. Já Helga Rosane, 55 anos, participante com maior idade entre a turma que permaneceu até o fim, s conseguiu ‘mandar embora’ 4 quilos e 600 gramas e alcançou o seu objetivo, pois quando começou a participar do programa ela não fazia nenhum exercício, mesmo com as dores ela não desistiu. “É muito bom, a gente faz amizade, a gente se diverte, não é só uma forma de emagrecimento para uma pessoa que nem eu, que tem depressão, pra mim foi ótimo”.