Spider faz post pondo em dúvida luta: 'Me questiono se devo continuar treinando'

Aos 44 anos, ex-campeão peso-médio do UFC diz que dores após o UFC Rio 10 deixaram incertezas.

Post Anderson Silva UFC — - Foto: Reprodução / Instagram

Após a derrota por nocaute técnico por sentir uma lesão na perna contra Jared Cannonier no co-evento principal do UFC 237, Anderson Silva fez uma postagem em suas redes sociais dizendo, pela primeira vez, que se coloca em dúvida sobre seu futuro no MMA como lutador.

Aos 44 anos de idade, e com um cartel de 34 vitórias e dez derrotas, além de uma luta sem resultado - perdeu seis das últimas oito disputas que fez desde 2013 - o Spider se diz em dúvidas após as dores que sente quatro dias após o evento se deve continuar treinando para competir. Nas palavras do Spider, "será que o amor que sinto pelo meu esporte não está consumindo minha mente e meu corpo ao ponto de não poder mais continuar ???”

Leia a postagem de Anderson Silva:

"PARAR OU CONTINUAR?!?!?

Fala meu povo... Fico freqüentemente me perguntando, o que cada um de nós está fazendo neste planeta?

Se a vida for somente viver por viver o máximo possível as horas e minutos esse definitivamente não é meu lema. Tenho a plena convicção de que existe um sentido maior em tudo o que vivemos e fazemos aqui, a vinda neste plano terrestre tem um sentido maior do que simplesmente viver por viver, acredito que é uma busca constante de evolução. Nesses 4 dias após mais uma missão que não foi bem sucedida estou me questionando se ainda devo ou não continuar treinando, me dedicando, superando lesões dores e etc... Me pergunto sempre, “será que o amor que sinto pelo meu esporte não está consumindo minha mente e meu corpo ao ponto de não poder mais continuar ???” Enfim... tudo que sempre fiz foi ser um bom soldado no meu campo de batalha, o mais bem treinado, o mais disciplinado e pronto pra morrer por minha missão, pois meu amor ao meu trabalho sempre falou e fala mais alto. Eu tenho a plena certeza que posso fazer tudo isto mais 1000 mil vezes, mas nos últimos 4 dias com dor, com a incerteza que não são novidades na minha rotina estão me consumindo mais do que antes, na verdade meu coração e minha mente de Guerreiro me confundem ao ponto de criar duvidas. Por um outro lado percebo que não sou e nem tenho que ser perfeito, o quanto está busca durante anos me trouxe coisas boas e ruins também.

Portanto lembre-se sempre que os seus fracassos são sempre os melhores professores e é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão para continuar em frente.

As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, fazem de nós pessoas melhores. A nossa capacidade de resistir e de continuar o caminho é que nos torna pessoas especiais."