Indígenas são internados com suspeita de intoxicação por agrotóxicos

Crianças, de 1 e 2 anos, e adolescentes, de 17 e 18 anos, tiveram contato com produto. Dois cães morreram.

Criança indígena observa a terra lavrada em fazenda - Foto: Cimi/Divulgação

Quatro crianças, entre 1 e 2 anos, e dois adolescentes, de 17 e 18 anos, indígenas foram internados no Hospital Municipal de Caarapó, com suspeita de intoxicação por agrotóxicos. 

De acordo com o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), os indígenas Guarani Kaiowá podem ter se contaminados com calcário e agrotóxicos utilizados em uma área da fazenda localizada a 50 metros da escola indígena de retomada que compõe a Terra Indígena Guyraroka.

As vítimas foram encaminhadas para o pronto-socorro e já estão em recuperação, segundo o Cimi. As crianças apresentaram asma, tosse seca, falta de ar, vômito, dores no tórax, estômago e também na cabeça. Seis cães também foram intoxicados, apresentando inchaço na barriga. Dois deles morreram.

O Cimi explica que como a área é próxima à escola, é comum às crianças irem até a cerca, atraídas pela movimentação dos tratores, que lançam calcário pela terra.

A área é reservada aos indígenas pela Justiça e compõe a demarcação da Terra Indígena Guyraroka, anulada em 2014 pela 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal).