Brasil sobe no pódio três vezes no último dia e bate recorde de medalhas em mundiais

Ícaro Miguel perdeu para o russo Vladislav Larin por 19 a 9. No feminino, Caroline Santos não conseguiu passar pela atual campeã mundial.

- Foto: Laurence Griffiths/Getty Images

A nova geração brasileira de taekwondo fez uma das melhores campanhas da história no Mundial de Manchester, na Inglaterra. No último dia de campeonato, o Brasil conquistou duas pratas com Ícaro Miguel (87kg) e Caroline Santos (62kg), e um bronze com Maicon Andrade (87kg), totalizando 5 medalhas para o país, o maior número conquistado até hoje. As outras duas medalhas de bronze vieram com Paulo Ricardo (54kg) na quinta, e Milena Titoneli (67kg) no sábado.

Na final deste domingo, Ícaro quebrou o jejum de 14 anos sem um representante do país numa final de Mundial, desde 2005 com Márcio Wenceslau. Na categoria 87kg, o brasileiro enfrentou o russo Vladislav Larin.

O brasileiro abriu o placar no primeiro round e não se intimidou aos ataques do russo, mas terminou o segundo round com um ponto atrás, com placar de 5 a 4. Com vantagem na altura, o russo usou a estratégia de atacar no rosto do brasileiro, que lutou até o fim, mas não conseguiu tirar a diferença de 19 a 9. 

Uma das esperanças do Brasil na Olimpíada de Tóquio, Ícaro tem apenas 20% da visão e tem desafiado os limites do esporte com seu desempenho no taekwondo.

Na final feminina da categoria 62kg, Caroline Santos enfrentou a atual campeã mundial, a turca Iren Yaman. A brasileira abriu o placar com um soco e terminou o primeiro round na frente, mas não conseguiu passar pela defesa da turca nos rounds seguintes. Iren Yaman mostrou mais experiência e fechou o bicampeonato com o placar de 21 a 7.

- Tive lutas duras aqui. Foram cinco lutas, mas infelizmente não levei o ouro, mas trabalhei muito duro pra chegar até aqui e vou continuar trabalhando porque eu sei que eu posso mais - disse Caroline.

Mais cedo, Maicon Andrade (87kg), primeiro brasileiro a ganhar medalha em uma Olimpíada entre os homens, garantiu o terceiro bronze da seleção.

O único ouro em Mundiais é de Natália Falavigna, conquistado no Mundial de 2005. A ex-atleta que ganhou a primeira medalha do taekwondo brasileiro em Jogos Olímpicos, um bronze, em Pequim 2008, atualmente coordena a seleção.