Reajuste do funcionalismo eleva folha em R$ 200 mil, aumento de 3,4%

Reajuste de 5% concedido ao funcionalismo público vai gerar um custo extra de R$ 200 mil à folha.

Reajuste de 5% concedido ao funcionalismo público de Sidrolândia, já sobre o salário de maio, vai gerar um custo extra de R$ 200 mil à folha de pagamento - Foto: Marcos Tomé/Região News

O reajuste de 5% concedido ao funcionalismo público de Sidrolândia, já sobre o salário de maio, vai gerar um custo extra de R$ 200 mil à folha de pagamento da Prefeitura, o que corresponde a um aumento de 3,4% sobre a “folha” de abril (com encargos) que somou R$ 5.829.513,50. Este impacto financeiro é relativamente pequeno (mesmo com uma correção nominal acima da inflação dos últimos 12 meses, de 4,58%) porque com exceção dos professores e de alguns servidores de nível superior, o salário da maioria dos 1.911 concursados não ultrapassa R$ 2,2 mil. O aumento se estende a comissionados e contratados (inclusive professores).

Como a Prefeitura vai continuar pagando o abono concedido ano passado para quem com o reajuste 3% não atingisse de ganho financeiro de R$ 150,00. Com isto, o reajuste de 5%, para quem ganha menos, representa um valor adicional que representa 11% na conta do funcionário.

Tomando como base, por exemplo, quem em 2018 recebia R$ 1.000,00 de salário base. Com os 3%, de correção, seu salário-base subiu R$ 30,00 (passou a R$ 1.030,00), acrescido de mais R$ 120,00 de abono. Neste ano, com os 5% de reajuste (aplicado sobre R$ 1.030,00), seu salário base sobe para R$ 1.081,50, terá R$ 120,00 de abono. Com isto, sua remuneração passa a ser R$ 1.201,50, R$ 119,06 a mais, ou seja, um incremento de 10.98% sobre o que o ganha hoje (sem considerar os descontos).

Aplicando-se o mesmo cálculo para o funcionário que em 2018 tinha R$ 1.500,00 de salário base. Recebeu 3% de reajuste (R$ 45,00) e mais R$ 105,00 de abono, totalizando R$ 1.650,00. Agora terá 5% sobre o salário-base (de R$ 1.545 para R$ 1.622,25) e mais R$ 105,00 de abono, chegando a R$ 1.767,25, totalizando 8,983% de incremento financeiro.

Situação peculiar é dos cinco servidores que atuam, na área de fiscalização (tributária, de obras e de posturas) que no início do mês mudaram de referência (da 33 para 50), com isto, o salário base deles aumentou 50%, de R$ 3.010,87 para R$ 4.516,30. Com os 5% de reajuste, o vencimento passa a ser de R$ 4.742,11, um aumento de 57,48%, sobre o que ganhavam em abril.