Sem receber há 2 meses, funcionários estão em greve e aldeias ficam sem atendimento

Estão sendo prejudicadas populações indígenas das 6 aldeias da etnia terena de Sidrolândia e as sete de Dois Irmãos do Buriti.

A decisão foi tomada em assembleia dos 80 funcionários do polo - Foto: Reprodução/Facebook

O atendimento médico nas 13 aldeias sob jurisdição do polo de Sidrolândia da Secretaria de Saúde Indígena, está suspenso.

A decisão foi tomada em assembleia dos 80 funcionários do polo que ainda não receberam seus salários referente aos meses de março e abril. Eles são contratados por terceirizadas que não estão recebendo repasses do Ministério da Saúde.

Estão sendo prejudicadas populações indígenas das 6 aldeias da etnia terena de Sidrolândia e as sete de Dois Irmãos do Buriti. Os casos de emergência são encaminhados para a UPA. Antes de deflagrar a paralisação, os funcionários (80% terena) aplicaram a vacina contra a gripe, como parte da campanha nacional em andamento.