Incremento de 4,25% na receita reduz para 51,40% gastos com pessoal

O resultado é melhor que o do ano passado, quando comprometeu 53,24% da receita líquida, menos de 1 ponto percentual do teto.

Prefeitura de Sidrolândia, que reajustou em 5% o salário dos servidores, continua muito próximo do limite de gastos com pessoal - Foto: Marcos Tomé/Região News

A Prefeitura de Sidrolândia, que reajustou em 5% o salário dos servidores, continua muito próximo do limite de gastos com pessoal, que a Lei de Responsabilidade Fiscal fixa em 54% da receita líquida.

Na próxima quinta-feira a Secretaria de Fazenda, Tributação e Gestão Estratégica, vai mostrar em audiência pública, que no primeiro quadrimestre do ano (janeiro a abril de 2019), a Prefeitura gastou 51,40% da receita líquida, mais ainda sim acima do limite prudencial (que é de 51,3%). O resultado é melhor que o do ano passado, quando comprometeu 53,24% da receita líquida, menos de 1 ponto percentual do teto.

O comprometimento da receita com pessoal caiu 3,45%, mas não foram porque os gastos com pessoal tiveram redução. Pelo contrário, as despesas aumentaram 2,39% (passaram de R$ 80,6 milhões para R$ 92,6 milhões) tomando como base os últimos 12 meses (maio de 2018 a abril de 2019), se comparando a despesa de janeiro a dezembro de 2019.

Em compensação a receita dos últimos 12 meses (R$ 160.734.843,48) foi 4,24% maior em relação aos números do ano passado inteiro (R$ 154.170.947,84). Os números foram influenciados pela sazonalidade de algumas receitas, como IPVA (que é pago no primeiro trimestre) e o IPTU com desconto de 20% para quem quitar até abril.

O repasse do ICMS que em março chegou a R$ 2.780 milhões, passou de R$ 3,8 milhões no mês seguinte. O IPVA que ao longo do ano não passa de R$ 300 mil, saltou em fevereiro para R$ 1,9 milhão, já a cobrança do IPTU, garantiu R$ 4 milhões.