Waldemar critica assédio tucano e convida vereadores para se filiarem ao PDT

O vereador, que é presidente do diretório municipal do PDT, disse que não esperava esta atitude de 'rasteira'.

Presidente da Câmara, Carlos Henrique e o vereador Waldemar Acosta - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Embora não tenha citado explicitamente os tucanos, o vereador Waldemar Acosta criticou o assédio do PSDB ao presidente da Câmara, para Carlos Henrique deixar o PDT. Em pronunciamento na sessão de ontem da Câmara, Waldemar reagiu ao gesto de dirigentes do PSDB de Sidrolândia que na última sexta-feira, durante evento de inauguração da sede do diretório, convidaram Carlos Henrique para ele ingressar no ninho tucano.

O vereador, que é presidente do diretório municipal do PDT, disse que não esperava esta atitude ("uma rasteira que é comum no ambiente político"), exatamente de segmentos com quem tem compartilhado posicionamentos, estratégias políticas e provavelmente serão aliados do seu partido na sucessão municipal. “Me surpreendi com esta tentativa de "rasteira", muito comum no ambiente político", desabafou.

Acosta elogiou a atitude do presidente da Câmara, que em princípio declinou do convite e disse que por enquanto não cogita trocar de partido. “O senhor é um quadro valoroso do nosso partido e acredito que continuaremos juntos”, destacou.

No pronunciamento, Waldemar lamentou a saída do PDT do ex-vereador Antônio Galdino, que se filiou ao PT, mas também aproveitou para convidar os vereadores Adilson Brito e Itamar Souza, para reforçarem os quadros pedetistas. “Nos identificamos em ideias e em nossas origens. Somos de origem humilde e isto muita gente que nasceu em berço de ouro, não aceita, fazem de tudo para obstruir nossa caminhada”, destacou.