Lutador é preso por agredir ex e se passar por mulher para pedir fotos íntimas

Vítima afirmou que suspeito pegou seu celular para verificar se estava sendo traído; ele usou aparelho para conversar com mulheres

Suspeito fotografado de costas após prisão por agressão, ameaça e falsidade ideológica - (Foto: Divulgação)

Foi preso em flagrante no município de Bonito um professor de muay thai suspeito de agredir e ameaçar a ex-companheira após suspeitar de traição. De acordo com a Polícia Civil, o homem também teria utilizado o aparelho celular da vítima para conversar com outras pessoas e pedir fotos intimas de mulheres.

Aos policiais, a vítima relatou que o professor de artes marciais, com quem teve um relacionamento por seis meses, havia inspecionado seu celular para verificar se estava sendo traído. Ao tentar recuperar o aparelho, o suspeito acabou agredindo e ameaçando a companheira.

Depois de pegar o celular, a mulher descobriu que o homem havia usado o equipamento para conversar com outras mulheres. Se passando por vendedora de lingerie, o suspeito chegou a pedir intimas para as vítimas, por meio de aplicativos de conversa.

De acordo com a polícia, geralmente as vítimas eram do mesmo círculo de confiança. Até o momento, pelo menos quatro ocorrências contra o professor foram registradas.

Esta não foi a primeira vez que o profissional de artes maciais se envolve em práticas do mesmo crime. O rapaz chegou a ser preso, na Capital, após ter sido flagrado armazenando em seu celular imagens de adolescentes, de 12 anos, nuas. Ele teria obtido as fotografias das menores aplicando o mesmo golpe de falsa identidade, se passando por amigas das vítimas.

Conforme o delegado responsável pelo caso, Gustavo Henriques Barros, a ação serve de alerta para que as pessoas tomem cuidado ao compartilharem imagens em mensagens e aplicativos nas redes sociais. “Uma vez que as fotografias são divulgadas, é difícil controlar quem terá acesso àquele conteúdo”, explicou.

“É importante que as pessoas fiquem atentas para quem enviam fotos e evitem compartilhar conteúdos íntimos com desconhecidos”, complementa Gustavo. Além dos crimes da agressão e ameaça, o suspeito poderá responder também por falsa identidade.