Governo paralisa obra no Jardim Alfa e moradores reclamam das crateras

Pelo cronograma inicial, a execução de pouco mais de 500 metros de asfalto teria sido concluída neste sábado, 1º de junho.

Pelo cronograma inicial, a execução de pouco mais de 500 metros de asfalto teria sido concluída neste sábado, 1º de junho. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Os moradores do Jardim Alfa estão sofrendo com a interrupção há mais de um mês das obras de drenagem e pavimentação de algumas ruas do bairro, executadas pelo Governo do Estado, com recursos da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste). Pelo cronograma inicial, a execução de pouco mais de 500 metros de asfalto teria sido concluída neste sábado, 1º de junho. 

A situação mais crítica é no trecho final da Rua Diogo Cunha, ligação com o Altos da Figueira, onde as valetas abertas para implantação da drenagem se transformaram em crateras após as últimas chuvas. A movimentação de máquinas da empreiteira provocou rachaduras no muro de duas casas.

Dona Maria do Carmo que mora há 30 anos no bairro, ficou animada com a chegada das máquinas em março, porque representava a esperança de que finalmente o asfalto chegaria ao bairro. Sua alegria durou exatamente um mês, já que por decisão da Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) a obra foi interrompida por 90 dias (entre 1º de abril e 1º de julho).

A paralisação da obra, publicada no Diário Oficial do Estado só na última semana, pode estar vinculada a falta de liberação dos recursos federais pra custear a obra (R$ 500 e mais R$ 50 mil de contrapartida). A interrupção também pode ser sido motivada pela necessidade de algumas readequações no projeto de drenagem, o que exigiria aumento na contrapartida do Estado. Outra dificuldade que travou a execução da obra, foi a identificação no solo de uma das ruas de uma laje pedra, impedindo a implantação da rede de esgoto.

Para garantir o escoamento da enxurrada, a Prefeitura está investindo R$ 219 mil na implantação de 191 metros de drenagem num corredor público margeando o Clube Cascatinha no Altos da Figueira até a mata mais embaixo. Estão sendo colocadas tubulação de 0,80 e 1 metro de diâmetro, que se conectará com a drenagem projetada nos trechos de ruas que serão pavimentados no Jardim Alfa.

Pelo projeto, viabilizado por uma emenda parlamentar da então deputada federal Tereza Cristina em 2015, serão atendidos os seguintes trechos do Jardim Alfa: Rua Diogo Cunha (entre a João Regaço e Projetada 6), Rua Projetada 6 (entre a Projetada 5 e Diogo Cunha), Rua 1º de Maio (entre Vicente Brito e Dos Barbosas), Rua Dos Barbosas (entre Ponta Porã e Clube Campestre Cascatinha) e Rua 11 de Junho (entre Vicente de Brito e Clube Campestre Cascatinha).

É a terceira obra de infraestrutura em Sidrolândia que o Governo interrompe oficialmente, em consequência do atraso na liberação de recursos federais. O prolongamento da Avenida Antero Lemes foi paralisado quando 95% do serviço está pronto. No Jardim Pindorama, iniciou o serviço, abriu valetas, colocou parte da tubulação, mas os contratos acabaram rescindidos.