Em passeata contra feminicídio, parentes de vítimas clamam por Justiça

Aproximadamente 1.000 pessoas, tendo à frente o prefeito e a primeira-dama, percorreram o trajeto.

Aproximadamente 1.000 pessoas, tendo à frente o prefeito e a primeira-dama, percorreram o trajeto. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Representantes de diferentes segmentos da sociedade sidrolandense participaram no sábado da passeata pela paz, contra a violência doméstica, se integrando à mobilização estadual de combate ao feminicídio ao longo deste mês.

Aproximadamente 1.000 pessoas, tendo à frente o prefeito Marcelo Ascoli e a primeira-dama Ana Lídia Ascoli, percorreram o trajeto da Praça Tancredo Neves, no Bairro São Bento até a Porfiria de Brito, no centro da cidade.

Entre os participantes da mobilização, pedindo por justiça, estiveram familiares de mulheres que foram mortas por seus companheiros, culminando um processo de violência que em alguns casos se arrastou por anos. Estavam as irmãs de Edmarcia Cintia da Silva, morta com 10 golpes de faca, diante das filhas, pelo companheiro Eder Clemente de Souza, na noite de 26 de abril do ano passado. O ex-sindicalista está preso e vai a julgamento pelo Tribunal do Júri no próximo dia 20 de agosto.

Durante o ato, a secretária municipal de Educação, Alice Rosa Gomes, anunciou que pretende mobilizar os servidores da Pasta, para que no dia do julgamento, compareçam em massa ao Fórum para defender pena máxima para o acusado.

Também prestigiaram a mobilização as sobrinhas de Maria Aparecida Luz Barbosa, que morreu carbonizada no dia 6 de novembro de 2013, num incêndio que destruiu a quitinete onde morava com os três filhos. 

As sobrinhas acusam o marido da vítima, Iraci Duarte Machado, de ter provocado o incêndio. Elas querem que ele seja julgado pelo Tribunal do Júri, porque não acreditam na tese da defesa, de que o sinistro tenha sido acidental, não provocado pelo suspeito.

Na opinião da 1ª dama, Ana Lídia Ascoli, com apoio da sociedade, Sidrolândia vai conseguir reverter a situação atual, que coloca a cidade em primeiro lugar no ranking estadual da violência doméstica. “Acredito que os números tenham assumido esta proporção, porque a rede de proteção à mulher implantada pela Prefeitura, as encorajou para não se calarem diante de qualquer forma de violência”, destaca.

Ela garantiu que em parceria com a Polícia Civil, a Prefeitura vai apoiar a instalação da sala lilás da Delegacia, para o acolhimento das vítimas. Entre os presentes na mobilização, o presidente da Câmara, Carlos Henrique; a vice-presidente, Vilma Felini; além dos vereadores Valdecir Carnevalli, Waldemar Acosta, dentre outros. Confira a reportagem em vídeo da caminhada de sábado.

 
#SOUCONTRAOFEMINICIDIO

Caminhada contra o feminicídio marca inicio de campanha contra a violência e familiares de vítimas, clamam por justiça. Assista e compartilhe

Publicado por Regiao News em Domingo, 2 de junho de 2019