Para o prefeito, emenda teve o propósito de gerar ‘instabilidade social’

Prefeito Marcelo Ascoli crítica os sete vereadores que subscreveram a emenda.

Prefeito Marcelo Ascoli crítica os sete vereadores que subscreveram a emenda da vereadora Vilma Felini - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Na justificativa ao veto do projeto de reajuste salarial dos servidores, além de invocar argumentos jurídicos, o prefeito Marcelo Ascoli crítica os sete vereadores que subscreveram a emenda da vereadora Vilma Felini que estendeu aos servidores contratados o reajuste salarial concedido apenas aos funcionários efetivos.

“A emenda tem por fim único e exclusivo gerar instabilidade social, política e econômica, comprometendo todo o planejamento estratégico para o corpo de servidores”, destaca o prefeito que arremata: “É o que no atual quadro da história, chamamos de política do quanto pior melhor”.

Subscreveram a emenda os vereadores Geosafá da Silva, Valdecir Carnevalli, Adilson Brito, Itamar Souza, Celso Pereira e Carlos Tadeu, que acabou votando contra a proposta. “A emenda fere de morte a Lei de Responsabilidade Fiscal, bem como pode, por um conservatório lógico, passear pelo tapete da Lei da Improbidade Administrativa”.

Em outro trecho o prefeito acusa a Câmara de “não ter se preocupado em alinhar o comando da lei com suas devidas regulamentações, o que merece repulsa jurídica”. Na mensagem o chefe do Executivo menciona julgados do Tribunal de Justiça que consideraram inconstitucionais alterações promovidas pelo Legislativo em projetos de reajuste salarial que impliquem em aumento despesas.