Com custo mensal de R$ 390 mil, UPA compromete 2,59% da receita líquida da Prefeitura

Por mês a UPA custa R$ 390 mil, sendo R$ 240 mil da receita própria e R$ 150 mil de repasses federais e estaduais.

Por mês a UPA custa R$ 390 mil, sendo R$ 240 mil da receita própria e R$ 150 mil de repasses federais e estaduais. - Foto: Vanderi Tomé/Região News

Em dois anos de funcionamento, a manutenção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sidrolândia já custou aos cofres públicos R$ 9,390 milhões, incluindo repasses do Ministério da Saúde e do Governo do Estado (R$ 3,6 milhões) e recursos próprios do município (R$ 5,760 milhões). Por mês a UPA custa R$ 390 mil, sendo R$ 240 mil da receita própria e R$ 150 mil de repasses federais e estaduais.

Conforme o relatório de gestão fiscal referente ao primeiro quadrimestre de 2019, o custeio da unidade comprometeu R$ 960 mil de recursos próprios, o correspondente a 2,59% de toda a receita líquida da Prefeitura (incluindo repasses constitucionais e receita tributária), que somou de janeiro a abril R$ 37 milhões. Dos R$ 5 milhões da receita própria destinados a saúde no período, quase 20% (19,20%) foram para o funcionamento da UPA.

Os números foram apresentados pelo prefeito Marcelo Ascoli, para demonstrar que o município faz um alto investimento para manter a estrutura que funciona 24 horas, todos os dias. Em dois anos foram contabilizados 257.511 mil procedimentos, abrangendo atendimentos por clínico geral, pediatra, ortopedista, pequenas cirurgias, Raio X e pela enfermagem. Por mês o município “investe”, conforme prefere o prefeito definir ao invés de despesa, R$ 240 mil por mês, enquanto os repasses do Estado e do Ministério da Saúde somam R$ 150 mil.

Ou seja, de cada R$ 100,00 aplicados, R$ 62,00 saem da receita própria da Prefeitura. Conforme relatório apresentado pela diretora da UPA, enfermeira Cleide Roque Machado, desde a inauguração até a última segunda-feira, foram feitos 257.511 procedimentos – 110.468 entre 05/06/2017 e 04/06/2018, e 147.043 de 05/06/2018 a 04/06/2019.

O prefeito destacou como avanços na Estado, além do funcionamento da UPA, a reforma do antigo posto central que hoje abriga os centros de especialidades médicas e odontológicas, a Unidade Básica de Saúde da área central. Está no planejamento deste ano a reforma dos postos e a construção do centro de zoonose e da sede própria do CAPS.