Apreensão de drogas cresce 30% em MS e crime tem mudança de perfil

Deputadas vão ao país para conhecer ações públicas na área

DOF apreendeu caminhão carregado com maconha. - (Foto: Divulgação/DOF)

Mato Grosso do Sul teve aumento de 30% no total de drogas apreendidas nos cinco primeiros meses de 2019 e registrou mudança no perfil dos transportadores. No ano passado, de acordo com a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), foram apreendidas 106 toneladas de janeiro a maio. Em 2019, o total aumentou para quase 140 toneladas no mesmo período.

“Temos notado uma mudança em relação a quem transporta os entorpecentes, que antes era feito por motoristas profissionais. Hoje o perfil mudou, quem leva essas drogas até os grandes centros são aqueles motoristas que transportam grãos e mercadorias em geral, que eventualmente são contratados para esta atividade”, afirma o titular da Sejusp, Antonio Carlos Videira, em entrevista ao site de notícisa do governo.

Ainda de acordo com o secretário, outra modalidade que também tem sido notada é o aumento das ocorrências envolvendo as pessoas que vão estudar nos países vizinhos. “Eles aproveitam a facilidade de adquirir a droga ou acabam sendo atraídos com intuito de levar para o local onde reside, uma vez que já conhecem a rota”, afirma Videira.

O titular da Sejusp credita i aumento das apreensões a ações de combate, como da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), da Polícia Militar Rodoviária, do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira), que são responsáveis pelo maior número das apreensões.

Mato Grosso do Sul tem 1.517 quilômetros de fronteira, sendo 1.131 km com o Paraguai e 386 km com a Bolívia, o que o torna vulnerável ao crime transnacional.