De cadeira de rodas, Cejudo promete levar cinturões ao Brasil

Chutes disparados por Marlon Moraes castigaram americano, que revelou ter sofrido lesão na semana do combate.

Henry Cejudo com os dois cinturões — - Foto: Ana Hissa

De cadeira de rodas, Henry Cejudo chegou na coletiva de imprensa do UFC 238 fazendo uma alusão ao seriado "Game of Thrones". Com cinturão do peso-mosca e do peso-galo, que conquistou neste sábado ao vencer o Marlon Moraes, a tiracolo, o americano gritava: "Ajoelhem-se! O Rei das Muletas está pedindo passagem".

Quinze potentes chutes conectados pelo brasileiro acabaram castigando a perna do americano, que não conseguia andar sem o apoio de muletas após sair do octógono. Somado a isso, Cejudo revelou que durante a semana tinha sofrido uma lesão no tornozelo esquerdo que quase fez com que a equipe cancelasse a luta. O "Mensageiro" revelou que teve dificuldade no octógono por conta da torção.

- Meu pé ficou completamente roxo durante a semana, foi um acidente de bobeira, por conta de um tatame mal encaixado com uma fita. Doeu muito, ficamos muito preocupados. E aí a informação vazou para a imprensa, mas eu disse que era no tornozelo direito. Precisei adaptar o jogo no octógono porque também desloquei o ombro esquerdo logo no início do combate. Mas isso faz parte da minha vida sempre: lutar contra as adversidades. E acho que fica até mais gostoso ganhar assim, isso vai essa luta ser ainda mais especial - disse ele.

Depois de perder o primeiro round da luta, Cejudo conta que ouviu as orientações dos técnicos no intervalo e sabia que para vencer e virar o combate precisava seguir tudo à risca.

- Marlon é muito duro, tem as mãos pesadas, chuta que nem um cavalo. Eu lembro que meu treinador disse que para eu vencer a luta eu tinha que pressioná-lo, não podia deixar ele continuar colocando aquele volume de golpes. Eu tinha que me ajustar ao jogo, manter a calma e lutar vendo os espaços que ele me dava. Foi quando comecei a conectar boas joelhadas no clinch, vi que ali estava um caminho para vencer - contou o campeão.

Empolgado com os elogios por conta da performance, o americano fez diversos apelos e desafios. Para o presidente do UFC, pediu para que começasse a ganhar mais dinheiro e que Dana White continue com a categoria peso-mosca da organização, que sofre com os rumores de que pode ser extinta.

- Eu não consigo entender o que há de errado com a categoria. São lutadores excelentes, dinâmicos. O que tem de errado com ela? Estou falando isso e eu sofro demais para bater o peso nos moscas. Há diversas lutas a fazer, vamos reestruturar isso pelo bem de várias famílias.. Veja o Benavidez, por exemplo, ele me venceu. Mas também preciso ganhar mais dinheiro. Eu mereço ganhar como um peso-pesado. Eu sou a nova cara do UFC - disse Cejudo.

O americano também aproveitou os holofotes para pedir por diversos adversários. Chamou Dominick Cruz, Cody Garbrandt, Urijah Faber e até mesmo o campeão peso-pena do Ultimate.

- Eles são lendas e eu quero lutas grandes. Eu quero matar as lendas. Aliás, quero ser conhecido assim: o matador de lendas - contou rindo.

Brasileiro "de coração", como se auto-intitula, Cejudo disse que vai cumprir a promessa feita durante a semana e que em breve vai ao país para levar os cinturões.