Com estiagem, focos de incêndio preocupam moradores de Sidrolândia e trazem riscos à saúde

Neste período, o mato alto em terrenos abandonados contribui para as queimadas e quem sofre com a situação são os moradores.

O fogo em um terreno baldio se alastrou rapidamente no Residencial Porto Seguro - Foto: Internauta/WhatsApp

Sidrolândia já registrou 13 focos de incêndio devido ao tempo seco (6 no mês de maio e 7 no início de junho). Neste período, o mato alto em terrenos abandonados contribui para as queimadas e quem sofre com a situação são os moradores.

Neste domingo, dia 16, um foco de incêndio no Residencial Porto Seguro, mobilizou moradores e o Corpo de Bombeiros. O fogo em um terreno baldio se alastrou rapidamente. O incêndio ameaçou algumas residências e colocou os moradores em risco. Enquanto aguardavam a chegada dos bombeiros, eles usaram baldes e mangueiras para tentar combater o incêndio.

O problema também atinge reservas ambientais. No último dia 06, a equipe dos bombeiros precisou atuar por aproximadamente 40 minutos para controlar um incêndio nos fundos do Clube Cascatinha. Cerca de 3 hectares de mata foram queimados. 2 mil litros de água foram usados para apagar as chamas, além de abafadores.

O período de estiagem é marcado principalmente pela entrada do inverno, onde a variação da temperatura, baixa umidade do ar, redução de nuvens, geadas e ventos com massas de ar polar provocam baixa umidade da vegetação e proporciona condições favoráveis para incêndios em vegetações.

A causa mais frequente nos focos de incêndio em vegetação, é a das pessoas que utilizam a ação do fogo para a limpeza de terrenos ou pastagens. Esta ação traz prejuízos, as plantas, animais, além de colocar em risco edificações próximas e o tráfego de veículos.

Além disso, pessoas com problemas respiratórios são atingidas diretamente. As queimadas afetam as vias respiratórias e podem causar sinusite e outras doenças, como laringite, faringite e bronquite. Médicos orientam beber muita água, utilizar umidificadores de ar e lubrificantes de vias respiratórias.

O 18º Subgrupamento de Bombeiros Militar em Sidrolândia, alerta ainda que de acordo com a Lei de Crimes Ambientais (Lei n° 9.605 de 1998), “é crime causar poluição, de qualquer natureza, em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana. Ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora”. A pena prevista é de seis meses a um ano de prisão e multa.

Dicas de como evitar ou reagir em caso de incêndio:

  • Não queimar lixo nas proximidades de vegetação;

  • Não jogue bituca de cigarro às margens da rodovia; pois podem estar acesos;

  • Não faça queimadas para limpar terrenos;

  • Não coloque fogo nas pastagens e lavouras sem a autorização do IMASUL/MS e siga corretamente as orientações do referido órgão, os procedimentos de prevenção quando da queima controlada;

  • Ao perceber um foco de incêndio se alastrando, ligue imediatamente para o 193;

  • Procure entender o que está acontecendo;

  • Perceba se a sua situação é de risco (ficar atentos aos sinais de fumaça, sirene, sons, ruídos e calor podem fazer a diferença);

  • Identifique a direção e origem do fogo;

  • Se tiver dúvida não fique no local;

  • Se prepare para sair rápido [mas evite o pânico isso pode atrapalhar a locomoção];

  • Abaixa-se em caso de fumaça [em geral ela tende a subir próximo ao piso é possível respirar melhor];

  • Opte pelas escadas em caso de energia cortada;

  • antes de abrir uma porta observe a temperatura da superfície;

  • Não tente combater o incêndio [ao perceber que o fogo está fora de controle priorize sair];

  • Evite locais confinados.