Cledinaldo deixa liderança do Governo após desentendimento com secretário de Fazenda

Na avaliação de Cledinaldo, antes deste episódio em que foi criticado sempre encontrou dificuldade de acesso.

Vereador Cledinaldo Cotócio vai deixar a liderança do Governo. Sem o voto de Cledinaldo, o Governo perde maioria - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O vereador Cledinaldo Cotócio vai deixar a liderança do Governo na Câmara Municipal. Embora a gota d'água para Cledinaldo tomar essa decisão tenha sido o seu desentendimento, tornado público com o secretário de Fazenda, Renato da Silva Santos, o vereador diz que estava se sentindo desconfortável com a postura de outros integrantes do primeiro escalão governamental que não vinham ajudando seu trabalho de articulação para garantir maior agilidade na tramitação dos projetos enviados pelo Executivo para deliberação do Legislativo.

Na avaliação de Cledinaldo, antes deste episódio em que foi criticado publicamente pelo secretário de Fazenda, que o acusou de estar fazendo lobby em favor de empresa terceirizada do transporte escolar com créditos para receber da Prefeitura, sempre encontrou dificuldade de acesso a outros secretários e integrantes da equipe de Governo.

“Nunca houve diálogo, nem interesse destes setores em facilitar meu trabalho na liderança, como por exemplo, ter acesso a informações sobre ações do Governo que são fundamentais para fazer o contraponto as críticas da oposição durante as sessões plenárias”, afirma.

Cledinaldo diz que suas divergências com o secretário de Fazenda começaram já no episódio da votação da suplementação orçamentária, quando Renato da Silva Santos foi para as redes sociais criticar o presidente da Câmara, Carlos Henrique, de quem Cotócio foi aliado na eleição da Mesa Diretora.

Cledinaldo diz que está deixando a liderança para que o prefeito se sinta à vontade para indicar outro vereador “com mais habilidade”, que possa cumprir a função. O vereador diz que em princípio continuará na base governista, se houver interesse de Marcelo Ascoli, do contrário, adotará uma postura independente. De qualquer forma, sem o voto de Cledinaldo, o Governo perde maioria.