MS é o 3º em denúncias de agressões contra pessoas com deficiência

São 37,59 denúncias por 100 mil habitantes de uma população estimada em 526.672 pessoas.

Entrada da Depac Piratininga, localizada na região sul de Campo Grande - Foto: Henrique Kawaminami

O Disque 100, serviço de denúncias do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, registrou 198 casos de violência contra pessoas com deficiência em 2018 em Mato Grosso do Sul. São 37,59 denúncias por 100 mil habitantes de uma população estimada em 526.672 pessoas, colocando o Estado em terceiro lugar no ranking nacional.

Mato Grosso do Sul fica atrás apenas do Distrito Federal (38,48 denúncias por 100 mil habitantes) e Minas Gerais (38,15 denúncias por 100 mil habitantes).

Do valor total divulgado, 51,02% das vítimas são mulheres. Apesar do número alarmante, o Estado registrou queda de 3,41% em comparação com o ano anterior, quando foram 205 casos registrados.

Em Mato Grosso do Sul, o mês em que houve mais denúncias foi agosto, com 26 casos. Por outro lado, novembro registrou o menor número de casos, com 11 denúncias. Entre os tipos de agressões cometidas estão abuso financeiro e econômico/violência patrimonial, discriminação, negligencia, trabalho escravo e violência física, psicológica e sexual.