Após geada e 3,4°C, em Sidrolândia segunda-feira com 10ºC ao amanhecer e máxima de 28ºC ao longo do dia

Antes das 8 horas da manhã postou nas redes sociais imagens “polares” do quintal da sua casa.

Quem teve coragem de sair dos cobertores nas primeiras horas da manhã registrou em fotografia e vídeo paisagem embranquecida pela geada - Foto: Reprodução/Facebook

O sidrolandense teve uma madrugada de sábado para domingo de muito frio, com a temperatura caindo a 3,4°C, com sensação térmica de 2º C. O Instituto Nacional de Meteorologia prevê uma segunda-feira fria, para os padrões sul-mato-grossenses, com a mínima de 7ºC, podendo chegar no transcorrer do dia, a máxima de 28ºC, temperaturas acompanhadas com rajadas de ventos moderadas.

Quem teve coragem de sair dos cobertores nas primeiras horas da manhã registrou em fotografia e vídeo paisagem embranquecida pela geada que cobriu plantações, pastagens e o gramado dos quintais. Um dos que se lançaram nesta aventura de inverno foi o ex-vereador Sérgio Bolzan, residente na Rua Rui Barbosa, no Bairro São Bento.

Antes das 8 horas da manhã postou nas redes sociais imagens “polares” do quintal da sua casa. Vários internautas, inclusive um dos bombeiros de plantão, postou um vídeo exibindo raspando o gelo acumulado no capo do carro.

Além de Sidrolândia, outras 13 cidades de Mato Grosso do Sul, registraram geadas, incluindo Amambai (mínima de 0,1°C); Bataguassu (3,9°C); Bela vista (3,9°C); Chapadão do Sul (3,8°C); Dourados (1,6°C); Itaquiraí (2,1°C); Ivinhema (3,8°C); Jardim (4,1°C); Juti (1,4°C); Maracaju (2,9°C); Ponta Porã (1,7°C); Rio brilhante (1,0°C) e Sete Quedas (1,0°C).

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) a segunda-feira promete tempo claro a parcialmente nublado e registro de geada isolada no extremo sul do Estado, em Ponta Porã e Ivinhema, áreas de baixada no leste e no sul da Serra de Maracaju. A máxima deve ser de 28°C e a mínima de 3°C.

O frio castigou principalmente os moradores de rua e da ocupação na antiga esplanada ferroviária, onde mais de 100 famílias ocupam os barracos. Os vizinhos se ajudaram, cedendo casacos e cobertores para quem estava mais vulnerável. Dona Élida Cardoso, aos 82 anos, se surpreendeu com a madrugada gelada, mas teve a ajuda dos amigos para suportar uma sensação térmica de 1 grau negativo.