Linguiça de Maracaju integra lista de produtos protegidos pelo Mercosul no acordo com a União Europeia

Iguaria entra para uma seleta lista de 220 produtos protegidos pelo acordo comercial firmado entre o Mercosul e União Europeia.

O toque especial, conforme os criadores, fica por conta da carne picada e o suco de laranja azeda. - Foto: Divulgação

Famosa em todo País, a Linguiça de Maracaju mais uma vez rompe fronteiras e leva o nome de Mato Grosso do Sul para lugar de destaque. Dessa vez, a iguaria entra para uma seleta lista de 220 produtos protegidos pelo acordo comercial firmado entre o Mercosul e União Europeia.

Para Gilson Alves Marcondes, presidente da Associação dos Produtores da Tradicional Linguiça de Maracaju (APTRALMAR), e filho dos criadores do alimento, essa é mais uma grande conquista. “Para nós é uma alegria imensa. Uma forma de reconhecer e também de preservar a qualidade do produto”, comemora.

Com características únicas, a Linguiça de Maracaju deu origem a tradicional, Festa da Linguiça que há 25 anos movimenta a economia não só do município, mas de todo Estado. Outro marco, foi no ano de 1997, quando entrou para edição anual do livro do Guinness Book, como a maior linguiça do mundo feita de uma tripa única do boi, com 31 metros.

No ano de 2016, uma nova conquista: o selo de Indicação Geográfica (IG) emitido pelo Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), garantiu a iguaria, proteção contra falsificações de origem e produção.

Produzida com carnes nobres, a linguiça de Maracaju leva em sua receita, carne bovina, pimenta, sal, cebola, cebolinha e salsa. O toque especial, conforme os criadores, fica por conta da carne picada e o suco de laranja azeda.