Santos bate Botafogo e iguala pontuação do líder Palmeiras

Marinho marca golaço e garante quinto triunfo seguido do Peixe; Verdão segue na frente pelo saldo

Marinho comemora golaço que garantiu a vitória no Rio - Foto: Divulgação/Santos FC

Um chute violento e preciso do atacante Marinho no segundo tempo garantiu ao Santos a vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo na manhã deste domingo, no Engenhão, em duelo da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol premiou o time que mais tentou jogar na partida, muito brigada e que contou com duas expulsões, uma de cada lado.

O resultado deixa a equipe paulista com os mesmos 26 pontos do Palmeiras, que foi derrotado pelo Ceará no sábado, mas segue na ponta por ter saldo de gols superior (14 contra sete). Foi a quinta vitória consecutiva do time treinado por Jorge Sampaoli no torneio, e o sexto jogo sem sair de campo derrotado.

Já o Botafogo passa por um período de oscilação na competição e não consegue engrenar. O time carioca, que acenou com os primeiros lugares nas rodadas iniciais, ainda está bem posicionado. Ocupa o sétimo posto, com 15 pontos, mas pode perder posições, dependendo dos resultados da rodada.

O Botafogo muda o foco para a Copa Sul-Americana, na qual tem compromisso na próxima quarta-feira, contra o Atlético-MG, no Engenhão. O duelo é válido pelas oitavas de final. No domingo, às 16 horas, o time alvinegro faz o clássico diante do Flamengo, no Maracanã. No mesmo dia e horário, o Santos recebe o Avaí, na Vila Belmiro.

O JOGO - Em campo, o que se viu no primeiro tempo foi um duelo corrido, com algumas entradas violentas e carente de lances criativos, especialmente por parte do Botafogo, que, apesar de finalizar mais no primeiro tempo - seis vezes, contra quatro do rival - levou perigo apenas uma vez ao gol de Everson por meio de um arremate forte de Alex Santana de fora da área que o goleiro santista defendeu com a ponta dos dedos.

Sólido defensivamente, o Santos pressionou mais o adversário, mas falhou no momento de finalizar. O time de Sampaoli trocou vários passes, como é característico, mas fazia as escolhas erradas perto do gol e não conseguia ser efetivo. Nas melhores oportunidades, Uribe parou em Gatito Fernandez e Soteldo concluiu travado.

A etapa final começou com a expulsão de Lucas Veríssimo. O zagueiro derrubou Gilson com uma entrada violenta e recebeu o segundo amarelo, indicando que o time paulista teria dificuldade na partida. Não teve, já que o Botafogo não soube aproveitar a superioridade numérica e, para piorar, também perdeu Gilson aos 25 minutos. Ele recebeu o segundo amarelo por falta dura em Marinho.

Com dez de cada lado, o Santos passou a comandar as ações e chegou ao seu gol com Marinho. O atacante limpou para a perna esquerda e acertou um chutaço no ângulo esquerdo de Gatito. O santista brincou e classificou o gol como um "mini míssil aleatório", em entrevista após a partida.

Em vantagem e com o rival desarrumado e perdido em campo, o time visitante construiu várias oportunidades para transformar o placar em goleada no final do jogo, mas desperdiçou todas com Soteldo, Sánchez, Felipe Jonathan e Marinho, este na pequena área. Não fez falta, já que a equipe mandante estava entregue e a vitória foi assegurada.