Delcídio não consegue reverter pena e terá que prestar serviços sociais

Ex-senador tem sete dias para cumprir acordo de delação.

Ex-senador Delcídio do Amaral terá que pagar R$ 1,5 milhão aos cofres públicos - - Foto: Divulgação

Ex-senador aposentado Delcídio do Amaral não conseguiu reverter a pena decorrente do acordo de delação premiada, da Operação Lava Jato, e terá que prestar serviço voluntário em entidade beneficente na cidade de Campo Grande.

O ex-senador tentou reverter a pena propondo que a Justiça determinasse valor em dinheiro para substituir os trabalhos sociais que deverá prestar à crianças e adolescentes. A justificativa de Delcídio era de que ele precisava cuidar de sua propriedade rural que fica em Corumbá. Porém, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido.

O início do cumprimento da pena deverá ser feito no prazo de sete dias. O local escolhido pelo juiz Bruno Cezar da Cunha Teixeira, da 3ª Vara Federal de Campo Grande, para que Delcídio cumpra a pena é a Casa da Criança Peniel, organização não governamental que atende crianças e adolescentes vítimas de situações onde houve violações de direitos.

Serão seis meses de prestação de serviços feita pelo ex-senador, de acordo com o despacho, Delcídio vai atender às crianças por sete horas semanais. A instituição que determinará o que Delcídio deverá fazer na casa. Ainda de acordo com a decisão, Delcídio terá que pagar R$ 1,5 milhão aos cofres públicos.

O ex-senador está com os direitos caçados até 2026. A cassação dele se deve a acusação de ter tentado comprar o silêncio do diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. Delcídio é réu na Operação Lava Jato por supostamente ter recebido propina na compra de refinaria.

Em 2015, o ex-senador foi preso por determinação do STF, Delcídio chegou a fechar seu escritório em Mato Grosso do Sul e dispensou a maior parte dos funcionários.

A reportagem tentou falar com Delcídio, mas até o fechamento desta matéria as ligações não foram atendidas.