Licitação da coleta de galhos teve 4 participantes; mas duas empresas foram impugnadas

As duas empresas desclassificadas apresentaram orçamento abaixo de R$ 1 milhão pela coleta.

Licitação da coleta de galhos teve 4 participantes - Foto: Vanderi Tomé/Região News

A licitação, na modalidade pregão presencial, realizado na segunda-feira, destinada a contratação da empresa que ficará responsável pela coleta de entulhos e galhos nos próximos 12 meses, teve a participação de quatro empresas, mas duas, Bergamo e Fribacon, foram desclassificadas pela Comissão de Licitação por apresentar problemas de documentação. A concorrência foi interrompida com o pedido de impugnação apresentado à Comissão de Licitação, pela Morhena Ambiental contra a Sol Brasil que apresentou a menor proposta.

As duas empresas desclassificadas apresentaram orçamento abaixo de R$ 1 milhão pela coleta de 14.400 toneladas de galhos e entulho ao longo dos próximos 12 meses. O orçamento representa redução de 29% sobre o preço de referência (R$ 384.480,00 sobre R$ 1.324.800,00).

A Fibracon Consultorias, Perícias e Projetos Ambientais, por exemplo, se propôs a assumir o serviço ao custo de R$ 955.449,00, o que corresponde a R$ 66,35 por tonelada. A Bergamo, apresentou um orçamento menor, R$ 940.320,00, R$ 65,30 a tonelada. Pelo contrato encerrado na última sexta-feira, a Morhena Ambiental, estava recebendo R$ 75.134,07 por mês, para recolher 700 toneladas de material, um custo de R$ 107,72 por tonelada, valor quase 40% (39,3%) mais caro que o oferecido pela Bergamo. Este preço da Morhena cai para R$ 62,61, usando como parâmetro a coleta de 1.200 toneladas/mês prevista no edital.

Esta discrepância entre o volume de coleta do edital e o material efetivamente produzido, chamou atenção até do empresário Ibrahim Godoy, dono da Sol Brasil. Pela experiência que tem nas cidades onde executa o serviço (Costa Rica e Ribas do Pardo), ele não acredita que a população de Sidrolândia produza esta quantidade de material (1.200 toneladas por mês), mas mesmo assim, construiu sua planilha em cima deste volume de galhos e entulhos.

O custo da tonelada sairia por R$ 63,67, gerando um desembolso mensal de R$ 76.412,00, um valor próximo do que a Morhena recebia (R$ 75.134,07 por 700 toneladas). Provavelmente este preço (os R$ 63,67 por tonelada) seria inviável, abaixo dos custos, se a conta for feita sobre 700 toneladas, o que daria uma receita bruta de R$ 44,569,00 por mês.

A proposta da Morhena projeta um custo anual de R$ 1.130.112,00, R$ 94.250,00 ao mês, com a coleta de 1.200 toneladas, o custo seria de R$ 78,54 por tonelada. Se o volume for de 700 toneladas, o custaria cairia para R$ 54,97 a tonelada, com faturamento bruto mensal de R$ 38.486,00. 

Preço de referência do edital – R$ 1.324.800,00

Proposta Morhena – R$ 1.130.112,00

Fibracon – R$ 944.440,00 (desclassificada)

Bergamo – R$ 940.320,00 (desclassificada)

Sol Brasil – R$ 916.992,00