DNIT abre licitação para contratar por R$ 20,8 milhões empresa que vai fazer manutenção da BR-060

O prazo estimado de execução dos trabalhos é de 720 dias, contados a partir do recebimento da primeira ordem de serviço.

Trecho da BR-060 entre a Seara e a Base Operacional da PRF - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) abriu licitação para contratar empresa, ao custo inicial de R$ 20,8 milhões, que vai executar obras de manutenção na BR-060, desde a rotatória com a BR-262, em Campo Grande, o contorno rodoviário, numa extensão de 33,9 km e mais 138,2 km, desde o final da Avenida Gunter Hans (na Capital), passando por Sidrolândia até o entroncamento próximo a Nioaque com a MS-166 que conecta com Maracaju e Antônio João.

Por enquanto, não está no planejamento, a duplicação do trecho entre a Seara e a Base Operacional da PRF em Sidrolândia, que vinha sendo reivindicada.

A contratação estima serviços de conservação rotineira, como tapa-buracos, remendos, limpezas de sarjetas e bueiros, capina e roçada, pintura de faixas e destocamento de árvores. A empresa vencedora do certame também deverá fazer correção preventiva periódica de defeitos por fresagem e aplicar micro revestimento a frio. O prazo estimado de execução dos trabalhos é de 720 dias, contados a partir do recebimento da primeira ordem de serviço.

O aviso de licitação foi publicado na edição desta terça-feira (20) do DOU (Diário Oficial da União). O certame será realizado no próximo dia 4 de setembro, na modalidade pregão eletrônico. Vence a empresa que apresentar menor preço e se adequar às demais exigências do edital.

Em Mato Grosso do Sul, a BR-060 começa na ponte sobre o Rio Apa, em Bela Vista, fronteira do Brasil com o Paraguai; e termina em Chapadão do Sul, na divisa com Goiás.

Outro trecho - Em julho deste ano, o DNIT contratou a mineira Civilpav Construções LTDA para recuperação e conservação de 143 quilômetros da BR-060, entre o entroncamento com a MS-324, em Paraíso das Águas, até a ligação com a BR-163 em Bandeirantes, ponto conhecido como Congonha. O pagamento foi fixado em R$ 16,2 milhões.