Ainda foragido suspeito de matar assentado a golpes de machado

O suspeito, que já foi preso em Rio Verde, acusado de homicídio, estava morando na casa de Cobrinha.

Elidio Novaes Rodrigues, 67 anos, o Cobrinha, foi morto a golpes de machado - Foto: Divulgação

Mesmo com as diligências que fez ontem à tarde na região, a Polícia Militar ainda não conseguiu localizar Sebastião Braz da Costa, 61 anos, apontado como principal suspeito da morte de um assentado residente no Alambari/CUT. Elidio Novaes Rodrigues, 67 anos, o Cobrinha, foi morto a golpes de machado na terça-feira à noite , mas o corpo dele só foi localizado por vizinhos na casa onde morava que deram pela falta dele nesta quarta-feira.

O suspeito, que já foi preso em Rio Verde, acusado de homicídio, estava morando na casa de Cobrinha e se tornou conhecido na região porque trabalhou por algum tempo no mercadinho do Capão Seco, ponto de passagem de vários núcleos de Assentamento do Eldorado.

Um vizinho de Cobrinha, Manoel Messias, contou a Polícia que na terça-feira por volta das 21 horas houve barulho de discussão vindo da casa de Elidio, mas preferiu não ir averiguar o que estava acontecendo porque julgou ser algo banal.

Na tarde desta quarta-feira chamou atenção dos frequentadores do Bar do Pinguinha, a ausência de Elidio que era um cliente habitual para beber, jogar conversa fora e mostrar sua performance musical ao violão. O dono do bar João Jesus de Oliveira e o cliente, Carlos Alberto Santos Silva, que mostrou estranheza com a ausência de Cobrinha foram até a casa dele.

Lá gritaram o nome do amigo e não tiveram resposta. Carlos então retirou o papelão que vedava parte do vidro e viu uma cena drástica. O corpo de Elidio no chão de um dos cômodos ensanguentado envolvido num lençol. Foi então que chamaram a Polícia.