Brasil cresce no segundo tempo, e com Leandrinho cestinha vence a Nova Zelândia na estreia

Seleção sente o primeiro jogo na Copa do Mundo, mas deslancha com parcial de 28 a 12 no terceiro período.

- Foto: FIBA

O Brasil demorou para se acertar. Sofreu no segundo quarto diante da Nova Zelândia, mas decolou no terceiro e estreou com vitória na Copa do Mundo de Basquete da China: 102 a 94. Demonstrando um nervosismo normal para o primeiro duelo, os brasileiros passaram a comandar o confronto em Nanjing, pelo Grupo F, principalmente após a entrada de Alex Garcia no intervalo. E também da consistência de Rafa Luz na defesa e no ataque. Leandrinho foi o cestinha do Brasil com 22 pontos. Rafa Luz fez 15, e Alex fez 14, e Marquinhos, 12 pontos. Cristiano Felício fez sete pontos e pegou 13 rebotes. Na Nova Zelândia, Cory Webster fez 19 pontos.

A seleção volta a jogar nesta terça-feira, dia 3, às 9h da manhã, em jogo que deve ser decisivo pelo Grupo F diante da Grécia, de Giannis Antetokounmpo, que ainda estreia neste domingo, contra Montenegro. O SporTV 2 transmite ao vivo. Na primeira fase, os dois melhores times da chave avançam para a sequência do torneio, quando uma nova chave de quatro equipes será formada. O Brasil cruzaria com Estados Unidos, Turquia, República Tcheca ou Japão.

A Copa do Mundo tem um peso diferente este ano. O torneio classifica sete seleções para a Olimpíada de Tóquio. Para conseguir uma dessas posições, o Brasil precisa ficar entre as duas melhores seleções das Américas no torneio, lembrando que além dos brasileiros, estão na China os Estados Unidos, Argentina, Porto Rico, Venezuela, República Dominicana e Canadá.

Com Alex ainda sentindo dores, Petrovic iniciou com Rafa Luz, Huertas, Varejão, Didi e Caboclo. O Brasil abriu 6 a 0 com duas bolas de três, de Didi e Rafa Luz. O volume ofensivo da Nova Zelândia vinha das mãos dos irmãos Webster e de Fotu no garrafão. Com quatro minutos, o Brasil vencia por 11 a 7 e Rafa Luz tinha cinco pontos. A defesa brasileira demorava para se armar, e em cesta de três Rusbatch, a Nova Zelândia virou para 18 a 16. Com Yago numa bandeja impressionante, Felício e Leandrinho entrando na reta final do período, o Brasil fechou na frente por 21 a 20.

Nos primeiros dois minutos do segundo quarto, a defesas do Brasil ainda não se acertava. Smith-Milner meteu bola para três, e Rusbatch fez o mesmo. A Nova Zelândia vencia por 28 a 25. Quando o placar começava a escapar, Benite acertou bola para três pontos e trouxe o revés para 34 a 32. Em contra-ataque, Marquinhos igualou. Ao contrário do quarto inicial, o ataque brasileiro tinha mais dificuldade em se armar. A Nova Zelândia seguia apostando nas bolas de três pontos. E elas caíam. Foram 10 em 24 tentadas. Cory Wester chegou aos 17 pontos, colocando 50 a 47. Rafa Luz, em bola derradeira, foi para a cesta e falta para empatar em 50 a 50.

No último período, o Brasil conseguiu manter a vantagem conquistada no terceiro. Leandrinho assumiu a dianteira da pontuação e a seleção tinha 87 a 71 faltando cinco minutos para o fim. O nervosismo foi embora, e as escolhas ofensivas eram melhores. Rafa Luz, na bonita bandeja, levantou os chineses, que escolheram o Brasil para torcer. A Nova Zelândia não desistiu do jogo, e pressionou na marcação para tentar encostar no placar. O Brasil soube lidar. Leandrinho, em bola de três, deixou a seleção na boa com 91 a 77 faltando três minutos para o fim. Com uma blitz nos ataques derradeiros, a diferença ainda caiu para 98 a 92. Rafa Luz, no minuto final, pegou a prancheta de Petrovic e mostrou aos companheiros o posicionamento. E a vitória veio por 102 a 94.