Com R$ 123,5 milhões, na abertura da safra 2019/2020 Sidrolândia lidera contratação de crédito rural

São recursos destinados ao custeio do plantio e investimento para melhorar a produtividade, além da comercialização.

São recursos destinados ao custeio do plantio e investimento para melhorar a produtividade, além da comercialização. - Foto: Marcos Tomé/Região News

Em 20º lugar no ranking nacional de faturamento da atividade agrícola, Sidrolândia se prepara para plantar mais uma safra recorde de soja, se as condições climáticas ajudarem. Levantamento do Banco Central mostra que em julho e agosto, quando começa a contratação de recursos da safra 2019/2020, a cidade liderou em Mato Grosso do Sul as operações de crédito rural. São recursos destinados ao custeio do plantio e investimento para melhorar a produtividade, além da comercialização.

Nos últimos dois meses, os produtores sidrolandenses contrataram R$ 123,5 milhões do crédito, seguida por Maracaju (R$ 113,9 milhões) e Dourados (R$ 103,5 milhões). No total foram concretizadas 6.309 contratações que resultaram no financiamento de R$ 2,07 bilhões. As negociações para custeio responderam pela maior parte do bolo, com R$ 1,49 bilhão movimentado em 4.718 operações.

Os financiamentos, utilizados para aumentar a produtividade no setor e gerar renda na agricultura familiar, superam em 1,74% o total de igual período do ano passado, quando foram contratados R$ 2,03 bilhões. Os números são do Sistema de Operações do Crédito Rural do Bacen (Banco Central).

Foram 1.341 operações para investimento, que levantaram R$ 378 milhões. Os financiamentos para comercialização totalizaram R$ 157,5 milhões em 246 transações. Outras quatro contratações para industrialização acumularam R$ 42 milhões.

De acordo com o Bacen, o crédito rural financia o custeio de despesas normais dos ciclos produtivos, investimento em bens ou serviços, comercialização e industrialização. Anualmente, os bancos devem destinar 30% dos depósitos à vista, 60% dos depósitos em poupança rural e 35% das captações com LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) para aplicar em operações de crédito rural. O CMN (Conselho Monetário Nacional) estabelece sub direcionamentos para cada segmento de acordo com o perfil do produtor.

Entre as principais iniciativas de crédito rural estão o Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). No Brasil, o valor das contratações das operações nos dois primeiros meses da safra 2019/2020 foi de R$ 38,9 bilhões.

Levantamento divulgado na semana passada pelo IBGE, mostra que em 2018, a agricultura de Sidrolândia teve um faturamento bruto de R$ 1.328.458, resultado da comercialização da produção colhida em 402.588 hectares. O município ficou em 20º lugar no ranking estadual. No Estado, só ficou atrás de Maracaju, o 12º colocado, com R$ 1.856,152,00, em 579.573 hectares, mas teve um crescimento de 35% em relação a 2017, enquanto o município cresceu 32%. Supera Ponta Porã, em 20º lugar, com R$ 1.253.049.00, em 426.921 hectares. Também está à frente de Dourados (24º lugar), que fechou com R$ 1.106.039,00, em 358.214 hectares (20,3% de crescimento).

Na safra 2018/2019, quando registrou uma área plantada de 231.437,44 hectares, Sidrolândia colheu 693.506,85 toneladas de soja, com 49,94 sacas colhidas por hectare. Esta produtividade garantiu produção superior à de Ponta Porã que com 42,84 sacas, acabou colhendo menos (621.548,09 toneladas), embora com uma área plantada maior (241 mil hectares). Na safra 2017/2018, a produção foi maior (848.094,61 toneladas), numa área plantada menor (216.196,24). A diferença ficou por conta da produtividade recorde, 65,38 sacas por hectare.