Criança de 8 anos é mais nova suspeita de sarampo em MS

Investigação é feita por secretaria de Corumbá.

- Foto: Divulgação

Após surto de sarampo em São Paulo e também com dois casos confirmados em Mato Grosso do Sul, Corumbá notificou  caso suspeito da doença em uma menina de 8 anos, segundo a Secretaria Municipal de Saúde local afirmou nesta quinta-feira (12).

Segundo o portal Diário Corumbaense', a criança esteve recentemente em Campo Grande e apresentou sintomas de sarampo. Amostra de sangue para exame comprobatório já foi encaminhada para o Laboratório Central da Saúde Pública, na Capital. A previsão é que o resultado fique pronto até o dia 16 de setembro, na próxima segunda-feira.

Ainda conforme a Pasta, a paciente, que havia sido vacinada, passa bem e a família está recebendo apoio multiprofissional da Saúde de Corumbá. Técnicos da pasta também vão realizar bloqueio, por meio de vacinação, na escola em que a menina estuda.

CASO

O primeiro caso de sarampo do ano em Mato Grosso do Sul foi confirmado no dia 4, pela Secretaria Municipal da Saúde de Três Lagoas. Conforme nota, o caso confirmado pela Vigilância Epidemiológica apontou um homem, de 52 anos, que esteve na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo, onde apresentou os primeiros sintomas da doença.

Já o outro caso, foi confirmado no dia 9 de setembro, em um bebê de 10 meses de idade, que visitou, com a família, parentes em São Paulo de 1 a 5 de agosto e começou a apresentar os sintomas no dia 16 de agosto, em Campo Grande, onde mora. 

VACINAÇÃO

O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. O Ministério da Saúde estabelece dose zero para crianças de 6 meses a menores de 1 ano. A primeira dose para crianças que completarem 12 meses e a segunda dose aos 15 meses de idade (última dose para toda vida).

Entre os adultos que tomaram apenas uma dose até os 29 anos recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina. Quem até os 29 anos não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra precisa tomar as duas doses. Entre as pessoas de 30 e 49 anos é necessário apenas uma dose.

Todos que apresentem febre com exantema (erupção avermelhada na pele) e um dos seguintes sintomas: coriza, tosse ou conjuntivite é considerado caso suspeito de sarampo e devem procurar atendimento médico imediatamente.

A vacina é contraindicada durante a gestação pois são produzidas com o vírus do sarampo vivo, apesar de atenuado. A gestação tende a diminuir a imunidade da mulher, o que deixa o sistema imunológico mais vulnerável e, por isso, a vacina pode desenvolver a doença ou complicações. O recomendado é que a mulher que faça planos de engravidar tome todas as doses da vacina antes, podendo esta ser a tríplice ou a tetra viral, e mantenha toda a rotina prevista no Calendário Nacional de Vacinação atualizada, para se proteger e proteger o bebê.