Polícia prende 4 suspeitos por corpos incinerados dentro de carro

Duas pessoas foram mortas e os corpos queimados em um carro na noite de domingo em Horqueta, a 168 km de Ponta Porã.

Carro encontrado em chamas na noite de ontem em Horqueta - Foto: Campo Grande News

A polícia nacional paraguaia prendeu quatro pessoas, suspeitas de envolvimento com o assassinato de duas vítimas encontradas carbonizadas no interior de um veículo em Horqueta, a 168 km de Ponta Porã, na noite de domingo (15). Os suspeitos foram presos na segunda-feira (16) em Coronel Oviedo, no Departamento de Caaguazú, uma subdivisão administrativa do Paraguai.

Segundo o site “Frontera Seca News”, foram presos Andrés Ricardo Voleinik Gutierres, 41 anos, Guido Espínola Medina, 28 anos, Maribel Báez Cubas, de 29 anos e Zulma Adelaida Flores, de 26 anos. Os três últimos moram na Argentina, segundo o site.

Os quatro foram presos por volta das 14h50 na rodoviária de Coronel Oviedo. Junto com eles, a polícia encontrou dinheiro, vários celulares e um carro Peugeot com placas da Argentina. A investigação para encontrá-los envolveu o Setor de Investigações de Caaguazú e agentes da Interpol.

A polícia acredita que o encontro entre os supostos autores se encontraram com as vítimas para comprar drogas. Eles serão levados para a cidade de Concepción.

Entenda - O veículo com as duas vítimas foi encontrado ainda em chamas em Horqueta no domingo e até agora os corpos não foram identificados. Conforme a Polícia Nacional, o Ford Focus preto foi encontrado em chamas por moradores em uma estrada vicinal. Os investigadores da Divisão de Homicídios foram ao local e constataram que os dois corpos estavam completamente queimados.

A principal suspeita é de que os dois tenham sido executados e depois os pistoleiros queimaram os corpos dentro do carro, para dificultar a identificação. Um corpo estava no banco traseiro e o outro no porta-malas.

Localizada na Ruta 5, que liga Pedro Juan Caballero à cidade de Concepción, na margem do Rio Paraguai, Horqueta tem 55 mil habitantes e ficam em uma região com forte presença do narcotráfico. Por causa da localização estratégica, é base das quadrilhas que controlam a produção de maconha e o tráfico da cocaína trazida da Bolívia.